Governo inaugura complexo terapêutico na Cacimba Velha

Foram investidos recursos superiores a R$ 2 milhões numa área de 68 hectares, dos quais 4.500 só em obras físicas.

No próximo dia 18, o governador Wellington Dias entregará à sociedade uma comunidade terapêutica em que foram investidos recursos superiores a R$ 2 milhões numa área de 68 hectares, dos quais 4.500 só em obras físicas. Trata-se de um projeto arrojado que é recuperar através do tratamento, prevenção, acompanhamento familiar e reinserção social, homens que praticaram pequenos delitos e possuem histórico de uso de drogas ou álcool.

O complexo que recebe o nome de Unidade Luz e Vida vai receber 160 internos em processo de recuperação. A obra faz parte de um amplo projeto de atendimento aos dependentes químicos que terão assim a oportunidade de reinserção social pela recuperação. O coordenador geral e criador da Fazenda da Paz, responsável pela implantação da nova unidade diz que tudo isso só é possível graças ao apoio do governador Wellington Dias, que abraçou a ideia de coração.

Esta será a primeira unidade piauiense da Fazenda da Paz, uma instituição sem fins lucrativos que atua há 15 anos no Piauí e já auxiliou pelo menos 5 mil famílias na luta contra as drogas. O criador da Fazenda, Célio Barbosa, contou com a ajuda do Governo do Estado para torná-la real. Desde o ano 2002 o projeto estava elaborado.

Sua concepção é uma criação da Assistente Social Maria Lila Castro Lopes de Carvalho, da 2ª Vara da Infância e da Juventude, preocupada com a elaboração de um projeto voltado para uma política pública destinada a esse tipo de cliente.

O projeto elaborado por Maria Lila e o enquadramento das ideias de Célio Barbosa resultaram na concepção dessa nova unidade localizada em ampla área na Cacimba Velha, onde está prevista criação de peixe, com produção prevista de 16 mil unidades por ano. Para este fim já está pronta a escavação do tanque e perfurado o poço profundo com vazão suficiente para atender as necessidades da piscicultura.

Na mesma área do projeto estão sendo plantados 6 mil cajueiros que, juntamente com a produção de peixe e atividades agrícolas vão garantir a sustentação da casa. Para Célio Barbosa é objetivo da Unidade Luz e Vida a manutenção dos internos, através dos seus próprios meios de produção. E eles mesmos trabalham na plantação das mudas de caju, operando equipamentos ou auxiliando na realização total do projeto.

O arquiteto da obra está dando os últimos retoques no complexo, que tem capacidade para atender 160 homens, dispõe de capela, alojamentos, quadra poliesportiva, academia de ginástica, sala de informática, quatro salas de aula, lavanderia e refeitório.

O projeto, que pode ser um dos componentes da Política Nacional para a Recuperação de Drogados, vai funcionar a partir da seleção, pelo poder judiciário, dos homens que farão tratamento no local durante doze meses.

Segundo Célio Barbosa, a metodologia utilizada é abrangente e será aplicada de 6 da manhã até às 22 horas, de modo que o local não irá dispor de seguranças internos e quem for embora será considerado um foragido da justiça, não podendo mais voltar para o local, caso seja recapturado.

Todas as atividades da Unidade Luz e Vida têm total apoio do Governo do Estado, inclusive na tarefa de executar sua metodologia com atividades na área da educação, assistência social e agrícola.

O Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) colabora com as capacitações e projetos agrícolas, enquanto a Secretaria da Assistência Social e Cidadania (Sasc) deve atuar no apoio às famílias, que também são alvos do trabalho de reabilitação proposto pelo projeto.

A Fazenda Esperança existe há 15 anos e possui outras duas unidades, que funcionam na cidade de Timon (MA). Com esse novo empreendimento, a instituição vai aumentar sua capacidade de atendimento de 120 para 300 pessoas, sendo que a unidade piauiense será a única a tratar pessoas encaminhadas pelo Poder Judiciário.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte