Governo não descarta inversão em projeto de reforma no Iapep

Líder da bancada governista na Assembleia admite debate

A pauta da reforma administrativa que trata da desvinculação da administração da Previdência do Iapep pode sofrer alterações no projeto encaminhado inicialmente à Assembleia, ao menos é o que garante o líder governista, deputado João de Deus (PT), e o secretário de Governo, Merlong Solano (PT). Os dois não descartam inverter a matéria e retirar a gestão do Iapep Saúde e do Plamta do órgão, aglutinando-a a outra secretaria.

"Ontem recebi o líder do governo para tratar da Previdência. Há uma sugestão no sentido de que o Iapep continue a cuidar da Previdência e a saúde por outro ente; o governador foi informado da ideia. O que não pode é ficar só com um ente; tem que cuidar integralmente", indicou Solano.

Já João de Deus aguarda a formalização da proposta para que possa ser analisada e discutida. Por enquanto a única certeza converge que saúde e previdência não poderão mais andar juntas. "A ideia foi discutida informalmente, nós estamos conversando.

Bom, a ideia é separar, o que está sendo sugerido aqui é que a Saúde saia e seja vinculada a uma Secretaria, ficaria sob a administração de uma coordenadoria, mas isso são apenas especulações, ideias, mas esta proposta ainda não está formalizada.

Vamos esperar primeiro que eles (os deputados) apresentem para fazer uma discussão. Conversei com o governador na presença do secretário Merlong. O governador quer dialogar, o que está claro na cabeça dele é que tem que separar a Previdência da área de Saúde, agora qual a melhor forma, vai ter o espaço para buscá-la", afirmou.

Porém, o parlamentar indicou que essa proposta seria mais complicada. "Como eu disse, o Governo não quer mexer na área da saúde, pois poderia criar um problema para o próprio Executivo", alertou.

CONTRAPONTO - O diretor do Iapep, Marcos Steiner, vê a inversão como inviável, indicando que a oposição já está começando a entender a importância da aprovação integral da proposição.

"A gente tem que desmitificar que a Previdência precisa estar numa autarquia, a Previdência precisa ter um perfil técnico, ela é interna, é um trabalho que envolve um labor bem mais especializado. Esse entendimento eu começo a acreditar que já existe, na oposição, algumas pessoas que eu já conversei entendem essa divisão", complementou.

RELATORIA - As pautas da reforma administrativa foram distribuídas ontem na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O presidente Robert Rios (PDT) será o relator da matéria que trata do Iapep.

Fonte: Francy Teixeira