Março: Governo propõe salário de R$ 1.450 para professores

Março: Governo propõe salário de R$ 1.450 para professores

O Governo do Piauí deve confirmar o reajuste de 22,22% no piso dos professores.

O Governo do Estado se reunirá, nesta terça-feira (6), às 10h, com representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Piauí - Sinte-PI, para discutir o fim da greve da categoria e viabilizar a implantação estabelecida pelo Piso Nacional dos Trabalhadores.

A reunião acontecerá na sede da Secretaria de Administração. O Governo do Piauí propõe a remuneração de R$ 1.450,75, para que nenhum professor estadual ganhe menos que esse valor. Assim, atende a Lei de Valorização do Magistério, sem ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal.

O Governo do Piauí deve confirmar o reajuste de 22,22% no piso dos professores, conforme determinação do Ministério da Educação (MEC), o que representará um impacto mensal de R$ 9.813,706,62. Atualmente é pago aos professores estaduais com carga horária de 40 horas o piso de R$ 1.187,08.

A equipe técnica da Secretaria de Fazenda, Educação e Administração do Piauí, continua analisando e efetuando cálculos orçamentários para verificar a possibilidade de implantação do novo piso ainda na folha do mês de março, sem ultrapassar os 49% de gasto com folha de pessoal, limitados pela LRF.

Segundo o secretário estadual de Educação, Átila Lira, a implantação do piso no Estado seguirá as diretrizes da política da educação nacional, onde o índice representa a variação no valor mínimo de investimento por aluno do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) entre 2011 e 2012.

“Assim como o ministro Mercadante, também concordamos que a questão do salário do professor não é apenas trabalhista, mas uma questão de valorização da categoria. No entanto, a implantação será progressiva e segura”, destaca o secretário Átila.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, discorreu sobre o tema, durante audiência pública realizada na última quarta-feira (29), na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal.

Ao defender o piso nacional dos professores, o ministro fez uma exposição sobre as principais metas e diretrizes do Ministério da Educação, apresentando os planos da pasta, desde a educação infantil até a pós-graduação.

Na audiência, o ministro ainda assinalou a importância da alfabetização até a idade de oito anos e falou sobre o uso de novas tecnologias e ideias inovadoras na sala de aula, entre eles o projetor digital e os tablets, que serão distribuídos às escolas e professores.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte