Governo realiza mais uma rodada de negociações com grevistas

Servidores têm até este domingo para dizer se aceitam reajuste de 15,8%

O governo federal realiza neste sábado (25) mais uma rodada de negociações com as categorias dos servidores em greve. A assessoria de imprensa do Ministério do Planejamento já afirmou que a rodada de negociações será concluída neste final de semana.

As reuniões com os representantes das categorias devem se estender até o final da tarde. Sindicatos em greve terão até domingo (26) para dizer se aceitam ou não a proposta de reajuste salarial oferecida pelo governo. Segundo a assessoria da pasta, a oferta final já foi feita e não há mais tempo hábil para a análise de contra-propostas. Os acordos devem ser assinados até terça-feira (29).

Representantes do governo se reúnem ao longo do sábado com dirigentes da União das Carreiras de Estado (UCE). O grupo é formado por representantes de 21 sindicatos e associações de carreiras de analistas e técnicos de Planejamento e Orçamento, advocacia e defensorias públicas federais, auditoria do fisco e do trabalho, peritos e delegados da Polícia Federal, além de representantes das agências reguladoras e do Itamaraty.

O grupo apresentará uma proposta que prevê um reajuste de 25%, parcelado em três anos. O resultado da reunião será levado para os servidores de cada uma das categorias, que decidirão em assembléia geral quais medidas serão adotadas na campanha salarial.

Segundo o Ministério do Planejamento, para incluir reajustes com pessoal para o próximo ano, o governo federal precisa encaminhar o Projeto de Lei do Orçamento 2013 ao Congresso até a próxima sexta (31). O período entre terça e sexta seria usado para técnicos redigirem os acordos e os projetos da lei orçamentária.

Ainda de acordo com o ministério, as negociações após essa data podem continuar, mas só serão incluídas no Orçamento de 2014.

Proposta

A maior parte dos sindicatos que representam os servidores públicos federais receberam proposta de reajuste de 15,8% a ser pago em três parcelas até 2015, com exceção dos docentes e dos técnicos-administrativos das universidades federais.

Desde março, quando começou a campanha dos servidores por reajuste salarial, o governo diz ter participado de mais de 180 reuniões com mais de 30 sindicatos.

Servidores que tiveram dias não trabalhados descontados da folha de pagamento do mês de agosto, que será paga em 1º de setembro, poderão negociar com o governo sob a condição de encerrarem a paralisação

Fonte: G1