Governo vai apontar 'desvio de poder' de Cunha, diz Cardozo

Cardozo antecipou que vai usar no Senado a denominação de "golpe"

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, usará em defesa da presidente Dilma Rousseff no processo de impeachment no Senado supostos novos "desvios de poder que teriam sido feitos pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), durante a votação do último domingo (17) e uma decisão da Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA (Organização dos Estados Americanos).

Segundo Cardozo, durante a sessão que deu aval à análise do impeachment pelo Senado, Cunha deveria ter advertido ao microfone que os parlamentares não poderiam levar em conta, para seus votos, fatos ligados a Petrobras e Pasadena, conforme decisão do STF.

O advogado-geral também mostrará aos senadores uma decisão da Corte Interamericana segundo a qual parlamentares não podem usar o argumento de "questão fechada" pelos partidos políticos para dar votos em casos como impeachment.

Conforme Cardozo, os deputados deveriam votar de acordo com sua consciência e as provas do processo, mas não seguir uma decisão partidária que vale para todos sob pena de punição contra os rebeldes. Cardozo antecipou que voltará a usar no Senado a denominação de "golpe".

 José Eduardo Cardozo
José Eduardo Cardozo
Fonte: Com informações da UOL