Graça Amorim será presidente do Partido da Mulher Brasileira no PI

Graça Amorim precisa se desfiliar do PTB para assumir presidência

Vereadora Graça Amorim (Crédito: Divulgação)
Vereadora Graça Amorim (Crédito: Divulgação)

A Vereadora Graça Amorim vai assumir o Partido da Mulher Brasileira (PMB) no Piauí. Ela se reuniu, na semana passada com a presidente nacional do partido, Suêd Haidar, onde tratou dos últimos detalhes para presidir a sigla no Piauí.

Graça Amorim precisa ainda se desfiliar do PTB para assumir a presidência do partido e isso só acontecerá no prazo de desfiliação partidária que permite a migração de sigla sem perda do mandato, a esperada “janela” que é um dos tópicos da reforma política, que começou a ser votada pela Câmara Federal no final de maio. A comissão provisória da executiva do PMB regional Piauí, cujo número é o 35, está interinamente sendo representada por Lais Maria Silva Martins, que chama atenção para o fato de que o nome Partido da Mulher Brasileira não significa dizer que só mulheres poderão ser filiadas. “É grande o número de deputados federais que aderiram ao PMB”, diz Laís.

Graça Amorim lembra o estatuto do partido ao ressaltar que o PMB têm como prioridade a igualdade de diretos entre os sexos.“O partido terá como uma das maiores bandeiras de luta a igualdade de direitos em todas as áreas. A política, por exemplo, é uma das áreas em que há esta diferença. Apesar das mulheres representarem mais da metade do eleitorado, apenas 9% das cadeiras do Congresso Nacional são ocupadas por elas. É um quadro que precisa ser mudado”, destaca a vereadora.

HISTÓRICO

Em novembro de 2015, o partido recebeu seus primeiros filiados com mandato no Congresso Nacional. Foram eles, todos homens, os deputados Domingos Neto (CE, ex-PROS), Ezequial Teixeira (RJ, ex-SD), Pastor Franklin (MG, ex-PTdoB), Toninho Wandscheer (PR, ex-PT), Valtenir Pereira (MT, ex-PROS), Victor Mendes (MA, ex-PV) e Weliton Prado (MG, ex-PT). Em 11 de dezembro o partido já contava com 22 deputados, dentre os quais havia apenas duas mulheres, Brunny e Dâmina Pereira. De lá para cá, o partido vem crescendo e se consolidando nos estados. No Ceará, a deputada estadual, Laís Nunes, também assinou a ficha de filiação com o partido. No início de dezembro, o PMB filiou o seu primeiro senador, Hélio José (DF, ex-PSD).

Fonte: Portal MN