Grevistas prometem parar Judiciário Federal nesta segunda-feira

Eles estão há mais de nove dias em greve, e paralisando diversas atividades.

Os trabalhadores do Judiciário Federal do Piauí deverão fazer piquete na porta do Fórum Trabalhista nesta segunda-feira, 07, para impedir que se realize qualquer audiência. Eles estão há mais de nove dias em greve, e paralisando diversas atividades, mantendo apenas o índice legal de 30%.

A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Piauí, já pediu representação pra exclusão de prazos nas ações, devido a greve dos servidores. Segundo os representantes da categoria, os funcionários do Judiciário Federal estão há mais de cinco anos sem reajuste salarial e realizaram a greve como medida pela à falta de negociação em aprovar o plano por parte do Governo Federal.

A paralisação é uma deliberação nacional. Até o momento existem mais de 16 Estados em greve e outros já em adesão. O movimento grevista começou em junho, mas a adesão da maioria dos Estados ocorreu em outubro.

Os servidores pedem a aprovação do Plano de Cargos e Salários (PCS), detalhado no Projeto de Lei (PL) 6613/2009, que prevê aumento de 56% e impacto anual de R$ 7,4 bilhões. O Supremo Tribunal Federal (STF) alega que o aumento real é de apenas 31%, pois o índice de 56% não atinge toda a folha de pagamento.

O último reajuste, de até 50%, foi concedido em 2006, pago em seis parcelas semestrais. Na última sexta-feira, os grevistas realizaram um movimento de mobilização no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

“O arrastão foi positivo, a atividade desenvolvida mostrou que as decisões da Assembleia foram corretas. Temos que manter a greve, hoje conseguirmos crescer de forma substancial. Temos que mostrar à todos que não dá pra esperar por ninguém, nem pelo comando de greve, todos nós temos que fazer nossa parte pra fortalecer a nossa greve, e ter mais comprometimento” afirma Paulo Ferro, trabalhador do TRT e integrante do comando de greve.

Os magistrados federais já decretaram sua paralisação para o dia 30 e cancelamento de todas as atividades.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte