Grupo de deputadas e senadoras fazem ato contra o impeachment

Parlamentares gritaram palavras de apoio à presidente Dilma Roussef

Parlamentarem fazem ato de apoio à Dilma (Crédito: G1)
Parlamentarem fazem ato de apoio à Dilma (Crédito: G1)


Um grupo formado por 12 deputadas e senadoras de quatro partidos (PT, PC do B, PR e PSB) fez um ato nesta quarta-feira (16) no Salão Verde da Câmara dos Deputados em defesa do mandato da presidente Dilma Rousseff e contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).Há duas semanas,

Cunha acolheu pedido de impeachment de Dilma movido pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior. O presidente da Câmara negou motivação política e, em reação ao anúncio dele, a própria presidente convocou a imprensa ao Palácio do Planalto, onde fez pronunciamento e afirmou que não cometeu "atos ilícitos".

Participaram do ato nesta quarta as senadoras Vanessa Grazziotin (PC do B-AM), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Fátima Bezerra (PT-RN) e Ângela Portela (PT-RR), além das deputadas Jandira Feghali (PC do B-RJ), Jô Moraes (PC do B-MG), Alice Portugal (PC do B-BA), Benedita da Silva (PT-RJ), Moema Gramacho (PT-BA), Maria do Rosário (PT-RS), Luiza Erundina (PSB-SP) e Érica Kokay (PT-DF).

Com a Constituição Federal em mãos, as parlamentares gritaram palavras de apoio à presidente Dilma Rousseff, como "Fica, Dilma", e contra o presidente da Câmara, "Fora, Cunha!".

As deputadas e senadoras também estenderam uma faixa com os dizeres "Não vai ter golpe" e colaram um adesivo de faixa presidencial com a frase "Somos Dilma!".

Movimentos sociais femininos, como o grupo das Mulheres Negras e das Margaridas, também acompanharam o ato.O protesto a favor da presidente Dilma Rousseff ocorreu no mesmo dia em que o Supremo Tribunal Federal deu início ao julgamento de uma ação do PC do B na qual a legenda questionou o rito do processo de impeachment de Dilma iniciado por Eduardo Cunha.

"Nós avaliamos que esse processo de impeachment é um golpe porque não encontra respaldo na constituição. Então, nós fizemos esse movimento", explicou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR)."Hoje é um dia em que os movimentos sociais estão nas ruas. Temos manifestações em todos os estados do Brasil.

Como somos parlamentares e não podemos nos deslocar daqui nesta tarde, fizemos este ato para dizer que não aceitamos um golpe na democracia", completou a deputada Benedita da Silva (PT-RJ)As parlamentares também disseram que vão encontrar a presidente Dilma Rousseff na Conferência da Juventude nesta quarta-feira, no Estádio Mané Garrincha em Brasília, para declarar pessoalmente apoio à petista.

Fonte: Com informações: Ego