Grupo de empresários quer fórum de desenvolvimento do PI

Grupo de empresários quer fórum de desenvolvimento do PI

A proposta da criação desse fórum foi apresentada ao governador Wilson Martins.

O governador Wilson Martins se reuniu no final de semana com empresários naturais do Piauí que devem criar uma câmara de notáveis para discutir o desenvolvimento do Estado.

A reunião preliminar desse grupo aconteceu no Palácio de Karnak, reunindo nomes como Luís Jorge Nunes, da Alumínio Brasil S/A, e Delmar Rodrigues, que atuou em empresas de Angola.

A proposta da criação dessa câmara ou fórum foi apresentada ao governador Wilson Martins por Luís Jorge Nunes, na última quinta-feira (03). A ideia é reunir piauienses com experiência no mundo empresarial para debater as conjunturas econômicas nacional e local, estudar oportunidades e meios para aproveitá-las. O grupo deve se reunir, inicialmente, a cada três meses.

Durante reunião aberta pelo governador e que contou com a presença dos secretários estaduais de Planejamento, Sérgio Miranda; Transportes, Avelino Neiva; do diretor do Núcleo de Estudos e Projetos Especiais, Cézar Fortes; o consultor pernambucano Fernando Vasconcelos, da Vasconsult, mostrou alguns cenários positivos para o Piauí em médio prazo e mostrou exemplos de como os pernambucanos abraçaram ramos estratégicos para a retomada do desenvolvimento de seu estado.

Entre os cenários positivos apontados pelo consultor estão as potencialidades nas áreas agroindustrial e de extração de minérios no Estado. A formação de um polo logístico, com a construção do Porto de Luís Correia, da ferrovia Nova Transnordestina e a hidrovia do Rio Parnaíba, também conta pontos a favor do Piauí como destino para investimentos empresariais.

“Há uma tendência de levar a mancha industrial para o interior. O Piauí pode se beneficiar com a criação de portos secos, de terminais intermodais. No caso do Porto de Luís Correia, é preciso descobrir sua vocação, pois não adiantaria querer concorrer com os portos de Itaqui (no Maranhão), de Pecem (no Ceará) ou de Suape (em Pernambuco)”, ressaltou.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte