Cocal empossa novo prefeito, faltando dois meses para eleições

O TRE-PI decretou a perda do cargo eletivo de Márcio Soares Teixeira, prefeito de Palmeirais, em razão de desfiliação sem justa causa.

O município de Cocal da Estação empossou no último sábado o novo prefeito, Chico Preto (PSD), na Câmara Municipal da cidade. Ele assume a vaga do ex-prefeito Fernando Sales que era do DEM e passou para o PSB, tendo sido cassado por infidelidade partidária.

A solenidade contou com a presença da deputada estadual Juliana Moraes Souza (PMDB). Após a solenidade, foi feita uma benção na igreja matriz e a entrega das chaves da Prefeitura ao novo chefe do Executivo municipal.

"Estamos preparados, porque a tarefa à frente da prefeitura não vai ser fácil, temos apenas cinco messes para consertar a cidade. O PSF está fechado, os funcionários da prefeitura estão com salários atrasado, devendo fornecedores", criticou Chico Preto.

Após voto de minerva do presidente Haroldo Rehem, o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí cassou no início de julho o mandato do então prefeito de Cocal, Fernando Sales, por infidelidade partidária. O órgão ainda determinou que em 10 dias o vice assumisse o cargo.

O relator do processo foi o juiz Jorge da Costa Veloso. Como o julgamento anterior terminou empatado, o presidente Haroldo Rehem, pediu vistas no processo e deu seu voto decisivo.

Chico Preto apoia a candidatura de Rubens Vieira (PSDB) e sua vice Sandra Rosa Nogueira (PMDB), principal adversária de Ítalo Monção, filho do ex prefeito Monção. Sales não é o primeiro prefeito cassado por infidelidade este ano pela Corte Eleitoral.

No último dia 25 de junho, o TRE-PI decretou a perda do cargo eletivo de Márcio Soares Teixeira, prefeito de Palmeirais, em razão de desfiliação sem justa causa.

O prefeito de Brasileira, Francisco de Assis Amado Costa Bento, que era do PSDB; será o próximo gestor municipal a ser julgado pelo TRE-PI também acusado de infidelidade partidária.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte