Imprensa internacional repercute início do julgamento do mensalão

Caso é considerado o de maior relevância da história do STF.

O Supremo Tribunal Federal (STF) começa a julgar nesta quinta-feira (2) o caso conhecido como o processo do mensalão. A ação penal 470 é considerada a de maior relevância a ser julgada pelo STF em seus 183 anos de história. O julgamento começa às 14h, e a previsão é de que a análise avance pelo mês de setembro. O julgamento repercutiu em jornais internacionais, que trouxeram reportagens anunciando o início do processo.

A amplitude do caso, que colocou no banco dos réus políticos, empresários e servidores, se reflete nos números superlativos do processo: 38 acusados, 50.389 páginas, 234 volumes, 500 apensos (documentos que foram juntados à ação ao longo do tempo) e mais de 600 testemunhas.

O argentino ?La Nación? chamou o caso de ?julgamento do século? e ressalta o fato de o mensalão ter ocorrido no primeiro mandato do ex-presidente Lula. O texto também aponta que o mensalão foi ?um gigantesco esquema de compra de apoio político com fundos públicos, que envolveu vários altos funcionários do Partido dos Trabalhadores (PT) e afetou o governo do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.?


Imprensa internacional repercute início do julgamento do mensalão

O jornal ?La Nación? do Paraguai apresenta uma foto de Lula na reportagem e destaca que entre os réus estão ex-ministros, ex-deputados, empresários e banqueiros. O jornal também aponta que Lula não figura entre os acusados, conseguiu ser reeleito mesmo após o escândalo e sempre negou ter conhecimento do esquema.


Imprensa internacional repercute início do julgamento do mensalão

O espanhol ?ABC? deu destaque para uma foto de Lula e diz que o mensalão é o maior escândalo da história brasileira, sem precedentes. A publicação também aponta que o julgamento deve durar um mês e que José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, está entre os acusados.

A agência italiana ?Ansa? destaca que o mensalão ocorreu na era Lula e que consistia no pagamento mensal de dinheiro para alguns deputados da oposição para que eles aprovassem projetos. O jornal também destaca que José Dirceu é um dos acusados.

Fonte: G1