Iracema articula aprovação de cota feminina em nova votação

Portella indicou que muitos parlamentares se arrependeram

Em audiência na Câmara Municipal de Teresina na manhã de ontem (28), a deputada federal Iracema Portella (PP) apontou que a bancada feminina não desistiu da cota para mulheres na política nacional. Otimista, a parlamentar acredita que o resultado negativo obtido em primeira votação será revertido no Senado. “Não vamos desistir nunca, jamais, agora a questão será votada no Senado e sem dúvida nenhuma será aprovada, depois irá voltar para a Câmara e lá também iremos ter um resultado positivo”, disse.

Portella indicou que muitos parlamentares se arrependeram da posição tomada no último dia 16 de junho, em que a matéria necessitava da anuência de 308 entes e recebeu sinalização positiva de apenas 293. “Perdemos somente por 15 votos, muitos deputados que votaram contra até se arrependeram mesmo no dia da votação e é muito importante essa participação das mulheres na política, pois somos a maioria do eleitorado brasileiro e, no entanto, somos apenas 10% da Câmara e 16% do Senado, isso não é justo, isso não é razoável”, declarou.

Nesse apontamento, parlamentar reiterou que o processo é imprescindível para o fortalecimento da democracia. “É central no processo de fortalecimento da nossa democracia uma maior participação das mulheres e é provado que esse maior número melhora a qualidade da política”, indicou.

PROPOSTA – O texto da matéria se estende gradualmente por três eleições consecutivas, na primeira legislatura a cota seria de 10%, na segunda 12% e na terceira 15%. “Nada mais do que justo, eu sonho com a paridade, nós não queremos tomar os lugares do mundo, mas queremos construir uma sociedade melhor com a participação de homens e mulheres”, complementou.

Fonte: Francy Teixeira