Jader não receberá ajuda de custo de R$ 26 mil, informa Senado

Jader não receberá ajuda de custo de R$ 26 mil, informa Senado

Adicional é pago a parlamentares no início e no final ao ano legislativo

O senador Jader Barbalho (PMDB-PA) não vai receber neste final de ano a ajuda de custo de R$ 26.723,23, que é paga aos parlamentares no fim e no início de cada ano legislativo, informou nesta quinta-feira (29) a assessoria de imprensa do Senado. De acordo com a assessoria, ele receberá R$ 3,4 mil de salário proporcional aos quatro dias restantes do mês de dezembro.

O peemedebista tomou posse nesta quarta (28), em cerimônia rápida no gabinete da Presidência do Senado. Por ter assumido já no recesso, não tem direito ao benefício de fim de ano, segundo o Senado. Ele receberá a ajuda de custo em fevereiro, quando começa o ano legislativo de 2012.

Nesta quarta, a assessoria do Senado havia informado que o parlamentar paraense tinha direito a receber a ajuda de custo, mas corrigiu a informação por meio de nota. A partir da posse, Jader Barbalho passa a receber mensalmente, como os demais senadores, o salário mensal de R$ 26.723,23.

Posse

Depois de um ano aguardando uma decisão da Justiça, o peemedebista foi liberado no último dia 14 pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) para tomar posse como senador. Em 2001, Barbalho renunciou ao mandato de senador para evitar um processo de cassação.

Em outubro do ano passado, o STF havia decidido que o registro de candidato de Barbalho deveria ser negado com base na Lei da Ficha Limpa. Mas depois que o Supremo derrubou a validade da Ficha Limpa para 2010, a defesa de Barbalho recorreu a fim de que ele pudesse assumir o mandato.

Embora barrado pela Ficha Limpa, Barbalho recebeu na eleição do ano passado 1,8 milhão de votos, quantidade suficiente para ocupar uma das vagas de senador pelo Pará. Impedido de assumir, foi substituído por Marinor Britto (PSOL-PA), que obteve 727,5 mil votos.

Com a chegada de Jader Barbalho, Marinor deixa o Senado. Os outros dois senadores paraenses são do PSDB (Flexa Ribeiro e Mário Couto). Com a saída de Marinor, a bancada do PSOL passa a ter um único senador (Randolfe Rodrigues, do Amapá).

Fonte: G1