Jair Bolsonaro é hostilizado durante voo para Paris: “homofóbico”

Político foi chamado de "canalha”, “homofóbico” e “racista”.

Jair Bolsonaro (PSC-RJ) passou por  uma situação um tanto constrangedora. O deputado federal, que foi leito político mais abominável do mundo por um site, foi xingado e chamado de “racista”, “homofóbio”, “defensor da tortura” e “canalha”. O politico, que seguia na companhia dos três filhos, revidou e classificou os passageiros como "petralhas".

Um dos passageiros virou-se para Bolsonaro e gritou: “quero ver tu aguentar o pau de arara que o senhor tanto prega”. O deputado, que dentre outros posicionamentos defende a volta do regime militar, também causou polêmica durante a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, ao homenagear Carlos Alberto Brilhante Ustra, primeiro militar reconhecido pela Justiça brasileira como torturador.

Na semana passada, a OAB-RJ protocolou o pedido de cassação do mandato do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. O ofício se baseia no elogio ao primeiro militar reconhecido pela Justiça brasileira como torturador, Carlos Alberto Brilhante Ustra, durante o voto de Bolsonaro pelo impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff, no dia 17.

Ustra, que morreu aos 83 anos em 2015, foi apontado como algoz por dezenas de perseguidos políticos. Um deles, o hoje vereador Gilberto Natalini (PV-SP) disse à "BBC": "Enquanto me dava choques, ele me batia com cipó e gritava".

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro




Fonte: Com informações do Metropoles