Jaques Wagner afirma que impeachment de Dilma 'caiu por terra'

Ele comemorou o fato do PP ter anunciado a sua permanência na base

O ministro-chefe do gabinete da Presidência, Jaques Wagner, disse que as propostas feitas por partidos de oposição para a realização de eleições gerais atestam que a tese do impeachment da presidente Dilma Rousseff "já caiu por terra".

"Olho para a proposta como uma tentativa daqueles que querem uma repactuação nacional entenderem que efetivamente este processo [de impeachment] já caiu por terra. Ele não representa a legalidade, aprofunda a crise e fragiliza a democracia", disse Wagner durante um evento em Salvador (BA).

Segundo ele, apesar da ideia da realização de novas eleições ser "menos agressiva" que o impeachment, a iniciativa teria que partir da própria presidente Dilma. Segundo ele, esta ideia, porém, está descarta pelo governo.

Wagner também comemorou o fato do PP ter anunciado a sua permanência na base governista. "Foi uma decisão que a gente esperava e mostra que a tentativa que um segmento do PMDB do chamado desembarque [do governo saiu] frustrado, que achava que ia puxar o desembarque dos outros. Mostrou que foi uma iniciativa precipitada e equivocada", avaliou.A expectativa, agora, é que outros partidos, como o PR e o PSD, sigam o caminho do PP e fiquem na base aliada. "A tendência é que haja essa consistência de permanência no governo", observou.


Dilma e Jaques Wagner (Crédito: Folhapress)
Dilma e Jaques Wagner (Crédito: Folhapress)


Fonte: Brasil 247