R. Jefferson diz está "desfrutando de momentos finais de liberdade"

R. Jefferson diz está "desfrutando de momentos finais de liberdade"

Ex-deputado e delator do mensalão fez passeio de moto neste domingo. Expectativa é que mandado de prisão saia na segunda-feira (24).

O ex-deputado e delator do mensalão, Roberto Jefferson, disse neste domingo (23) que está "desfrutando" seus últimos momentos antes de ser preso. Nesta sexta (21), o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, determinou o cumprimento da pena de Jefferson, condenado a 7 anos e 14 dias no regime semiaberto. O mandado com a ordem judicial, segundo a assessoria do STF, deve chegar para a Polícia Federal nesta segunda (24).

"Estou desfrutrando dos momentos finais da minha liberdade", afirmou Jefferson a jornalistas na porta de sua casa, após voltar de um passeio de moto.

O ex-deputado, que mora em Levy Gasparian (RJ), saiu com a moto por volta de 8h00 deste domingo. Ao voltar, cerca de três horas e meia depois, foi abordado por um homem trazia uma doação de R$ 100 para Jefferson. O doador disse que é de Cataguases (MG) e queria ajuda o ex-deputado a pagar a multa imposta pelo STF no julgamento, inicialmente calculada em R$ 720,8 mil.

Agentes da Polícia Federal continuam em frente a casa de Jefferson. Com a expectativa de que o mandado de prisão ficasse pronto, uma viatura havia chegado no início da manhã de sábado. Os policiais não seguiram Jefferson durante o passeio de moto.

Também no sábado, Jefferson conversou com os agentes e disse que, se fosse necessário, eles poderiam imprimir o mandado na impressora de sua casa.

Prisão no semiaberto

Além de determinar a prisão de Jefferson, Joaquim Barbosa também negou que ele cumprisse a pena em casa. Condenado a 7 anos e 14 dias de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Jefferson alegou que precisa de cuidados médicos especiais porque ainda está em tratamento contra um câncer no pâncreas. Com a prisão domiciliar negada, ele vai ter que cumprir a pena no regime semiaberto.

Quando pediu para cumprir regime domiciliar, o ex-deputado informou ao Supremo que queria permanecer na cidade onde mora, o Rio de Janeiro. Em razão disso, Joaquim Barbosa pediu informações ao Tribunal de Justiça do Rio para saber se os presídios do estado tinham condições de receber o condenado em razão dos problemas de saúde. O tribunal respondeu que sim.

Jefferson será o 19º preso do processo do mensalão em presídios brasileiros. Dos 25 condenados, 20 tiveram prisão decretada, mas um deles, Henrique Pizzolato, fugiu para Itália. Ele está detido desde o dia 5 de fevereiro na Itália e o Brasil deverá pedir a extradição na semana que vem para que a pena seja cumprida em território brasileiro.

Outros três cumprem pena alternativa e dois aguardam resultado de recursos, mas não serão presos porque tiveram penas menores de quatro anos, quando é possível converter a punição em prestação de serviço ou pagamento de multa.

Fonte: G1