João de Deus auxilia criação de associações em Nazária e Cabeceiras

Para o líder do PT na Assembeia Legislativa, ações como essa alimenta a luta por mais benefícios

Fortalecer pequenos agricultores é um dos projetos do Partido dos Trabalhadores e uma das metas do mandato do deputado João de Deus (PT) que, sistematicamente tem colocado sua assessoria para apoiar a formação de associações. Na última semana o parlamentar visitou comunidades em Nazária, onde participou de encerramento de curso e ouviu pedidos de orientação para regularização de terras.

No povoado Morada Nova, onde a assessora do gabinete do parlamentar, Adriana Silva, ministrou curso de associativismo para 40 pessoas, João de Deus acompanha a comunidade há cerca de 10 anos. Para o líder do PT na Assembeia Legislativa, ações como essa alimenta a luta por mais benefícios e reforçam projetos já existentes no local, como casa de farinha, abastecimento de água e energia, além da agricultura familiar.

Adriana Silva destacou que 40 pessoas fizeram o curso e que sente nas pessoas a satisfação em obter novos conhecimentos para o desenvolvimento da comunidade. ?Eles agora sabem o que é e para que serve uma associação. Passam a conhecer os caminhos para fazer convênios e trazer mais benefícios?, disse ela.

Através da ação do gabinete do deputado João de Deus outra entidade também foi criada. No último domingo (21) foi formalizada a Associação de Pequenos Produtores Rurais da Comunidade Pedra Branca e Adjacências, em Cabeceiras.

Regularização fundiária ? João de Deus também visitou o assentamento Passagem Santo Antônio, local que existe há pelo menos 10 anos e onde 180 famílias encontram dificuldades para regularizar suas terras.

O parlamentar orientou para que formem uma comissão e colocou a assessoria jurídica do gabinete à disposição para negociar a legalização do local. O processo já foi aberto junto ao Interpi. A Passagem Santo Antônio já é beneficiada com água, energia e campo agrícola. Com a regularização as famílias podem pleitear a construção de casas.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte