Joaquim Barbosa sobre possibilidade de se candidatar: "isso é conversa"

Joaquim Barbosa disse também que ainda não tomou qualquer decisão quanto ao pedido de renovação da prisão domiciliar

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, afirmou nesta quinta-feira (20/2) que não tem interesse direto em qual será o resultado do julgamento dos embargos infringentes de condenados no julgamento do mensalão. A Corte começou a julgar esses recursos na sessão desta tarde. Entre os réus que poderão ter a pena revisada pelo crime de formação de quadrilha estão o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-deputado José Genoino (PT-SP) e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares.

?Não tenho interesse nenhum, der o que der, para mim tanto faz?, disse Joaquim Barbosa a jornalistas antes da sessão desta quinta.

Questionado se foi convidado pelo PSB para se candidatar a algum cargo eletivo nas eleições de outubro, o presidente do STF negou. ?Não, não?. Quando perguntado se será candidato, ele também foi enfático. ?Isso é conversa, isso é conversa?, frisou.

Joaquim Barbosa disse também que ainda não tomou qualquer decisão quanto ao pedido de renovação da prisão domiciliar de José Genoino. ?Estou instruindo mais?, disse. O ministro afirmou, porém, que está perto de decidir a situação do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), que aguarda em liberdade uma definição quanto à solicitação de ficar preso em casa, devido a problemas de saúde.


Joaquim Barbosa sobre possibilidade de se candidatar:

No começo da sessão desta quinta, os ministros do STF definiram que somente as partes farão sustentações orais hoje - o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, responsável pelas acusações, e os advogados dos réus que serão novamente julgados.

Fonte: Correio Brasiliense