José Alencar reage bem a tratamento, diz hospital

Ele chegou ao Hospital Sírio-Libanês às 14h30 deste sábado

O presidente em exercício José Alencar está reagindo bem à hidratação que está recebendo por meio de soro no Hospital Sírio-Libanês, na região central de São Paulo, neste sábado (4).

O vice Alencar está no exercício da Presidência porque o presidente Luiz Inácio Lula da Silva viajou para a Europa, onde na próxima semana participará de reunião da cúpula do G-8.

Alencar foi submetido na tarde deste sábado a uma tomografia no abdome no hospital, após sentir dores na noite de sexta-feira (3), em Brasília. Foi detectada uma obstrução intestinal parcial.

De acordo com informações da TV Globo, a equipe médica, que inicialmente informou que uma das alças do intestino estava sendo pressionada por um tumor, cogita outras hipóteses para o quadro.

A dor pode ter sido causada ainda ou por uma inflamação do intestino ou que as alças tenham se aderido e se grudado entre si ? isso acostuma ocorrer em pacientes que já passaram por várias cirurgias.

Alencar chegou ao hospital às 14h30 deste sábado vindo de Brasília. Ele entrou andando no hospital com a esposa Mariza Alencar.

De acordo com a equipe médica, Alencar ficará internado, em jejum, até segunda-feira (6), tomando soro pela veia. Com a hidratação, os médicos esperam que a alça do intestino seja desobstruída. Se isso não ocorrer, haverá nova cirurgia para desobstrução da alça.

Fortes dores

De acordo com informações da TV Globo, ao chegar ao hospital, Alencar sentia fortes dores abdominais.

Alencar fez exames de rotina na quinta-feira (2) no hospital para avaliar o tratamento que faz contra o câncer.

O vice-presidente iniciou no dia 22 de junho, em Houston, nos Estados Unidos, a segunda etapa do tratamento com um novo medicamento em fase de pesquisa contra o câncer.

Em maio, Alencar obteve autorização para participar, como voluntário, do tratamento realizado no hospital MD Anderson, referência no tratamento contra a doença. O tratamento no Brasil é acompanhado pelo oncologista Paulo Hoff.

Diferentemente da quimioterapia, o remédio ataca apenas as células que provocam o tumor, evitando que elas continuem a agir. O medicamento já foi testado, com sucesso, em 30 pacientes.

Histórico da doença

O vice-presidente luta contra o câncer desde 1997. Em janeiro deste ano, ele passou por uma cirurgia para a retirada de tumores no abdome, com duração de cerca de 18 horas. Ficou 27 dias internado, nove deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Em 31 de março, o vice-presidente voltou a São Paulo para um procedimento de troca de um tubo plástico colocado dentro da alça de intestino, que substitui seu ureter desde a cirurgia. No início de maio, exames comprovaram a volta de tumores na região abdominal

Fonte: g1, www.g1.com.br