José Alencar sonha em concorrer à vaga no Senado em 2010

O senador disse esperar que, efetivamente, Alencar se recupere da doença para compor os quadros do Senado

Confiante na sua recuperação, o vice-presidente José Alencar revelou esta semana ao senador Demóstenes Torres (DEM-GO) que pretende disputar uma vaga para o Senado em 2010 caso consiga se recuperar do câncer no abdômen que enfrenta há 12 anos. Alencar telefonou ao senador para agradecer o artigo escrito por Demóstenes no qual o parlamentar elogiou a postura do vice-presidente na luta contra a doença.

"Ele [Alencar] disse que espera se recuperar e que, se estiver pronto, vai se candidatar a senador. Eu respondi que seria uma honra para o Senado se isso acontecesse. Um homem da qualidade dele seria importante para ajudar a recuperar a imagem da Casa", afirmou Demóstenes à Folha Online.

O senador disse esperar que, efetivamente, Alencar se recupere da doença para compor os quadros do Senado. Em artigo publicado esta semana, Demóstenes declarou que Alencar é a "fonte de boas notícias do governo". Apesar de ser filiado a um partido de oposição, o senador afirmou no texto que Alencar, pela transparência com a qual enfrenta a doença, traduz em "mantras" todas as suas afirmações e posturas.

"A veneração à sua figura nos faz esquecer de que é bem-sucedido nos negócios e até de que é vice-presidente da República. Aquele ali que está na TV esbravejando contra o mal não é um político ou um empresário. Aquele ali é uma demonstração de que a espécie humana ainda tem jeito, de que nem tudo no governo é Sodoma e Gomorra. Veja-o distribuindo esperança", diz Demóstenes no artigo.

Segundo o senador, Alencar não quer ser "messiânico", mas é um homem "submetido aos desígnios de Deus". "Ali está o apóstolo de uma causa, a maior delas, a vida. Vida é a boa notícia que José Alencar Gomes da Silva está espalhando na terra fértil de seu exemplo", afirma o senador.

Batalha

Esta semana, Alencar fez mais uma sessão de quimioterapia como parte do tratamento contra o câncer no abdômen. Na semana passada, o vice-presidente realizou exames de rotina que constataram que os tumores cresceram. Como consequência, os médicos suspenderam o tratamento experimental que Alencar fazia nos Estados Unidos, pois não estava surtindo efeito.

Alencar fazia um tratamento experimental no Centro Oncológico MD Anderson, em Houston (Texas), um dos maiores centros especializados em câncer do mundo.

No dia 24 de julho, o vice foi submetido a uma colostomia --procedimento no qual se faz uma abertura no abdômen para drenar as fezes. O procedimento já havia sido sugerido em cirurgia anterior, mas Alencar preferiu não fazê-lo.

Essa foi a segunda intervenção cirúrgica do vice em apenas um mês e a 15ª dos últimos 12 anos em tratamentos contra o câncer, descoberto em 1997.

Segundo os médicos, a colostomia foi necessária em razão da presença de tumores na região pélvica que impediam o funcionamento normal do intestino.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br