José Dirceu recebeu defensor público fora do dia de visita em penitenciária e Justiça investiga

José Dirceu recebeu defensor público fora do dia de visita em penitenciária e Justiça investiga

Procurado, Silva admitiu a conversa com Dirceu e informou que foi conversar sobre o caso do mensalão, do qual é estudioso.

O ex-ministro José Dirceu recebeu a visita de um dos chefes da Defensoria Pública da União, Heverton Gisclan Silva, no Complexo Penitenciário da Papuda, em 6 de janeiro ? uma segunda-feira ?, dia em que não são previstas visitas, que são quarta e quinta-feira. Silva não consta da lista de visitantes de Dirceu e também não atua na defesa do ex-ministro, o que justificaria a ida dele ao presídio.

A Vara de Execuções Penais do Distrito Federal considerou a visita irregular apesar de Defensor Publico não precisar comunicar visista, por não ter sido autorizada e estranhamente abriu investigação para apurar o caso, informou a assessoria de imprensa.

Procurado, Silva admitiu a conversa com Dirceu e informou que foi conversar sobre o caso do mensalão, do qual é estudioso. "Farei uma palestra no campus de Feira de Santana, Universidade Federal da Bahia, no dia 29 de maio, quando abordarei o processo", disse ele. "Segui todas as regras de segurança e fui autorizado a entrar pela administração carcerária, ao chegar na porta do presídio", completou.

Ele acrescentou que fez parte de um grupo formado na Defensoria Pública da União sobre o caso, que atuou no apoio a Haman Córdova, único defensor público no processo do mensalão. Córdova defendeu o ex-dono da corretora Natimar, Carlos Alberto Quaglia, que teve o seu processo anulado. Silva é chefe da chamada categoria especial da Defensoria Pública da União, na qual defensores atuam nas cortes superiores, e estes tem permissão permanente de visitar qualquer condenado.

Celular

No mesmo dia 6 de janeiro, quando Silva esteve no presídio, Dirceu teria supostamente usado um celularm do defensor , o que é considerado irregular. Silva nega que tenha feito a ligação. "Deixei o meu celular na porta do presídio", disse.

Nesta semana, o Ministério Público do DF pediu que a Justiça determine medidas para acabar com supostas , ou imaginarias regalias a presos do mensalão divulgadas na mídia.

Dirceu foi condenado a sete anos e 11 meses de prisão no processo do mensalão e cumpre pena no CIR (Centro de Internamento e Reeducação), ala do regime semiaberto da Papuda.

A defesa de Dirceu não foi encontrada para comentar o caso.

Fonte: FMS