Juiz deve decidir nesta segunda-feira destino dos onze mensaleiros presos durante o feriadão

Juiz deve decidir nesta segunda-feira destino dos onze mensaleiros presos durante o feriadão

A partir de determinação da Vara de Execuções Penais, advogados podem pedir transferência

Os mensaleiros devem começar a cumprir a partir de hoje (18) as penas pelas quais foram condenados no processo do mensalão. Até agora, os presos estavam sob custódia da Polícia Federal, aguardando decisão da Vara de Execuções Penais (VEP) de Brasília sobre os locais de cumprimento de pena.

José Dirceu, José Genoíno e os demais condenados vieram para Brasília atendendo a uma determinação do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Joaquim Barbosa, de que o destino deles na prisão fosse decidido pela VEP de Brasília. Como a vara não tem plantão em feriado e final de semana, a decisão ficaria para esta segunda-feira, primeiro dia útil após o cumprimento dos mandados de prisão.

O juiz da Vara de Execuções Penais do TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios), Ademar Silva de Vasconcelos, já trabalhava neste domingo, contudo, para acelerar o processo. Ainda assim, segundo ele, a decisão pode demorar mais do que o esperado. Vasconcelos disse, neste domingo (17), que "talvez, nem amanhã [a execução das penas] esteja pronto".

Advogados dos condenados já começam a se articular para pedir transferência dos réus para penitenciárias próximas aos locais de residência dos mensaleiros. Até que a decisão saia, os mensaleiros ficam em Brasília, no Complexo Penitenciário da Papuda. Neste domingo (17), alguns réus receberam a visita dos defensores, entre eles, o advogado do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, que não quis falar com a imprensa.

Para os pedidos da defesa serem atendidos, os condenados precisam convencer o juiz da Vara de Execuções Penais sobre a validade do pleito. A maioria das solicitações está relacionada à localização das unidades carcerárias. Os condenados querem ficar presos nos Estados onde moram e/ou onde têm família.

Fonte: r7