Julgamento do mensalão entra em recesso e retorna  7 de novembro

Julgamento do mensalão entra em recesso e retorna 7 de novembro

O relator do processo, Joaquim Barbosa, viaja neste final de semana para um tratamento de saúde.

Após a sessão desta quinta-feira (25), o julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal será retomado apenas no dia 7 de novembro, quarta-feira.

Na próxima semana não haverá sessões dos ministros sobre este assunto -- o relator do processo, Joaquim Barbosa, viaja neste final de semana para um tratamento de saúde na Alemanha e retorna ao Brasil no dia 5 de novembro.

O presidente da Corte, ministro Ayres Britto, definiu as mudanças de calendário ao final da primeira parte da sessão desta quinta-feira. Ele resolveu cancelar a sessão que haveria na segunda-feira, 5 de novembro, e remarcar esta sessão para a quinta-feira, dia 8, pela manhã. Assim, na semana em que retomará a análise do mensalão, o Supremo terá sessões na quarta-feira (7) à tarde e na quinta-feira (8) o dia todo.

O Supremo tem que definir as penas de 24 réus condenados pelo processo, fase conhecida como dosimetria. Até agora, foram definidas somente as penas do publicitário Marcos Valério, e parte das penas relativas a Ramon Hollerbach, sócio de Valério.

Além disso, Ayres Britto decidiu cancelar a sessão da próxima segunda-feira (29), por ser o dia após as eleições -- muitos ministros do STF trabalham ainda no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que terá atividades no domingo, 28.

Barbosa demonstrou preocupação com o andamento do julgamento. ?É bom que a moda não pegue senão não terminaremos?, respondeu o ministro à intervenção do advogado de Marcos Valério, que pediu a palavra no início da sessão desta quarta-feira.

Ontem, o ministro Marco Aurélio também disse crer que o julgamento ainda deve se prolongar. ?A presença do relator é indispensável?, disse o magistrado.

Durante a sessão em plenário ontem, Marco Aurélio disse ainda que o processo não deve ser acelerado. "Nada de acelerar, porque essa é uma parte importantíssima do julgamento. Devemos marchar com absoluta segurança", diz o ministro Marco Aurélio ao iniciar o seu voto. Ele pediu, ainda, recesso de uma semana para os ministros refletirem sobre a questão, mas seu pedido não foi debatido pelos demais membros do STF.

O julgamento do mensalão começou no dia 2 de agosto e já está em sua 42ª sessão. Em número de dias, ele já é considerado o maior julgamento da história do Supremo.

A primeira fase foi a de apresentação e leitura da denúncia da Procuradoria Geral da República, seguida pelas defesas dos réus. A partir de então, os ministros votaram sobre os réus, e, agora, estão definindo as penas dos condenados.

Fonte: UOL