Junta médica propõe adiar a decisão sobre aposentadoria de José Genoino

A Diretoria-Geral da Câmara recebeu a informação nesta tarde, segundo integrantes da mesa diretora da Casa.

A junta médica que avaliou o estado de saúde do deputado licenciado José Genoino (PT-SP), preso após condenação no julgamento do mensalão, recomendou que a decisão do pedido de aposentadoria por invalidez do parlamentar seja adiada.

A Diretoria-Geral da Câmara recebeu a informação nesta tarde, segundo integrantes da mesa diretora da Casa. Um pronunciamento oficial está previsto para as 16h.

Segundo parlamentares da cúpula da Câmara, a junta médica afirma que a condição física de Genoino é instável e que, portanto, não é possível determinar se o pedido de aposentadoria do petista deve ser aprovado. Segundo os dirigentes, será necessário realizar uma nova avaliação de sua saúde no futuro.

O PT esperava que a aprovação da aposentadoria de Genoino fosse feita o quanto antes, o que extinguiria a possibilidade de cassação de seu mandato.

Preso há mais de uma semana devido à sua condenação a 6 anos e 11 meses, sendo 4 anos e 8 meses de prisão por corrupção ativa --por 9 votos a 1--, e a 2 anos e 3 meses por formação de quadrilha --por 6 a 4, Genoino, passou por cirurgia cardíaca em julho e vem apresentando problemas de pressão alta.

Ele chegou a ser transferido do Complexo Penitenciário da Papuda para um hospital em Brasília, mas deixou o local no domingo e foi para casa de um familiar. Afastado da Câmara, o deputado só seria reavaliado em janeiro, mas com a prisão e a chance de responder ao processo de cassação, pediu para a Casa acelerar o processo.

Se o pedido de cassação começar a ser analisado, terá de passar pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e por votação em plenário, onde precisa de pelo menos 257 dos 513 votos para ser aprovado. Nos bastidores, deputados apostam que se houver o processo, ele será rejeitado.



Fonte: UOL