A pedido da P.Federal, Justiça pede quebra de sigilo telefônico de Pizzolato

Pizzolato foi condenado a 12 anos e 7 meses por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato.

A pedido da Polícia Federal, a Justiça decretou a quebra de sigilo telefônicodo ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, para tentar identificar todos os passos do condenado no julgamento do mensalão e saber com quem ele conversou antes da fuga. A solicitação inclui todas as ligações feitas e recebidas nos telefones fixos e móveis em nome de Pizzolato nos últimos seis meses. Até agora, a PF ainda não confirmou oficialmente a presença do foragido em solo italiano. As informações foram publicadas no jornal O Globo.

Pizzolato foi condenado a 12 anos e 7 meses por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato. Na segunda-feira, a deputada do Parlamento Italiano, a brasileira Renata Bueno, afirmou ter recebido informações extraoficiais de que o ex-diretor comunicou ao governo italiano a mudança de sua residência do Rio de Janeiro para Madri, na Espanha. De acordo com ela, Pizzolato tirou um passaporte italiano no consulado da Itália na capital espanhola, em 2010.

Fonte: Terra