JVC: “Candidato sairá do consenso na base”

Claudino disse não acreditar que a opinião de AJM seja compartilhada pelo governador Wellington Dias

Os discursos sobre a união na base aliada e as entrelinhas das declarações feitas recentemente pelos pré-candidatos a governador apontam para um acirramento que pode resultar em, pelo menos, duas candidaturas do bloco. As últimas afirmações polêmicas partiram do secretário estadual de Educação e pré-candidato ao Governo, Antônio José Medeiros (PT). O petista enfatizou na última terça-feira que, se o candidato escolhido para representar a base não for do PT, o presidente Lula deverá intervir no diretório estadual.

O senador João Vicente Claudino, pré-candidato pelo PTB, reprovou as declarações de Medeiros. Claudino disse não acreditar que a opinião do secretário seja compartilhada pelo governador Wellington Dias e os demais pré-candidatos da base. ?Os critérios definidos pelo governador na reunião feita no ano passado continuam válidos e o candidato sairá desse consenso?, pontuou, destacando que afirmações desse tipo não contribuem para a unidade do bloco.

MEA-CULPA - Já Antônio José admitiu que se ?exaltou? no posicionamento, mas reiterou que a direção nacional do PT possui um projeto no Estado que inclui uma candidatura ao Senado, possivelmente encabeçada pelo chefe do Executivo estadual, e uma outra candidatura ao Palácio de Karnak. ?A direção nacional não discutiu nada sobre o apoio a outros partidos?, argumentou.

Medeiros disse ainda que já conversou com os outros pré-candidatos sobre a o apoio do governador ao candidato do partido caso Dias permaneça no cargo. Segundo o secretário, todos concordaram que é natural o apoio do governador a um petista. ?Esse não é apenas um entendimento meu?, ressalta. Além de Antônio José e Claudino, o deputado federal Marcelo Castro (PMDB) e o vice-governador Wilson Martins (PSB) disputam a indicação da base aliada ao Palácio de Karnak.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte