JVC: Não podemos enganar ninguém. O PTB tem candidatura ao Governo do Estado

Claudino reiterou que os cargos foram devolvidos “para que o novo governador ficasse a vontade para a nomeação dos secretários”.

O senador e pré-candidato ao Governo do Estado pelo PTB, João Vicente Claudino, voltou a falar sobre a devolução dos cargos ocupados pelos petebistas no primeiro escalão do Governo do Estado. Claudino reiterou que os cargos foram devolvidos ?para que o novo governador ficasse a vontade para a nomeação dos secretários?.

O petebista acrescentou que a orientação dada a todos os membros do partido é que entregasse os cargos. ?Não podemos enganar ninguém. O PTB tem candidatura ao Governo do Estado. Deixamos claro que, se uma secretaria for oferecida ao partido e o membro aceitar, estará aceitando em seu nome e não em nome do partido?, frisou, acrescentando que o momento agora é de formalizar alianças com outros partidos.

Em relação ao apoio à candidatura do ex-governador Wellington Dias (PT) ao Senado, o petebista preferiu cautela e não dar garantias. ?O PTB terá chapa. Dois candidatos ao senado receberá nosso apoio. Se o PT não estiver nessa coligação, estudaremos os nomes?, diz, fazendo questão de ressaltar que ?não há mágoas e que o cenário eleitoral pode acabar levando o PTB a ficar nessa situação?. ?Fizemos parte desse governo. Ajudamos a construir ele. Mas não vamos enganar ninguém e nem protelar até junho?, argumentou.

João Vicente não descartou conversas com a oposição. ?Eu fiquei durante muito tempo em um cenário com quatro ou cinco nomes cotados a pré-candidatos da base. Agora temos tempo de pensar na política em todas as suas nuances. Vamos deixar o tempo passar. Mas a nossa candidatura já é certa?, garantiu. Mas se depender do empenho do governador Wilson Martins (PSB) o PTB voltará a fazer parte da base governista. ?Vamos construir um entendimento. Juntos fomos partes importantes do governo Wellington Dias. Espero poder contar com o apoio do PTB para também construirmos juntos o governo Wilson Martins?, ressaltou Martins. (M.M)

Fonte: Mayara Martins