Líder do movimento anti-Dilma diz que torce para que haja confronto

Grupo anti-Dilma diz que agendou ato antes

Marcello Reis, do grupo Revoltados Online, diz que o ato desta sexta (13) será "esquenta" para o de domingo (15).


Por que marcar o ato para o mesmo dia do protesto organizado pela CUT?

Marcello Reis - A CUT que marcou no mesmo dia que a gente. Estamos amparados pela lei. Marcamos e protocolamos antes.

Já que haverá um grande ato no domingo, qual é a motivação de um também na sexta?

Marcamos esse protesto antes porque queríamos fazer um pré-protesto, um esquenta, para passar à população a ideia de como vai ser a segurança se tiver muita gente, onde os caminhões estarão posicionados etc.

A CUT tem dito que só sairá da frente da Petrobras às 16h e você diz que o acordo previa a saída deles às 15h, para a chegada de vocês.
Exato. Nós tivemos reunião na PM e a divergência foi essa, sabíamos que a CUT ia querer infringir um acordo que está gravado. Ninguém vai para a frente da Petrobras às 15h a não ser eu e o caminhão de som. Se eles quiserem quebrar o caminhão, eles quebram e eles vão ter que pagar. A partir das 15h, qualquer ato será de vandalismo incitado pelo Lula.

Por que pelo Lula?

Ele não disse na ABI 'querem brigar? sabemos brigar!', disse que chamaria o exército do Stédile? Se não fosse incitado por ele, a CUT não correria no Rio e protocolaria um protesto no dia 13 por lá. Por isso não estaremos lá, porque lá a CUT registrou antes.

Você acredita que pode haver algum tipo de confronto?

Tomara que haja, porque vamos entrar com todas as ações possíveis contra o sapo barbudo [Lula].

Qual orientação será dada caso aconteça confronto?

Os manifestantes [do Revoltados] só vão chegar quando os da CUT forem embora.

 

Fonte: FOLHA