Lideranças indígenas proíbem entrada de políticos em aldeias

Uma carta foi feita informando da decisão.

Os índios tentam de todas as formas manter suas culturas mesmo diante de uma sociedade que não valoriza a sua importância e os seus valores na história da população.

Por conta disso, lideranças indígenas das 32 aldeias de Jordão, cidade cerca de 462km de Rio Branco , proibiram a entrada de candidatos a vereadores que não sejam indígenas na tentativa de se promoverem.

O assunto foi debatido e após essa reunião eles decidiram proibir a entrada dos candidatos que não sejam Huni Kuin (povo verdadeiro). Uma carta foi feita informando da decisão.

Na carta, de acordo com eles, na eleição passada por conta de políticas, as aldeias indígenas não receberam do governo os kits que eram para ser destinados a eles.

Reunindo mais de 500 eleitores, a comunidade indígena representa 40% dos votantes na região. A questão é ambígua, visto que constitucionalmente os índios podem proibir a entrada de pessoas em suas terras. No entanto, a urna eletrônica fica localizada dentro de terras indígenas, às margens do Rio Jordão.

Aldeias indígenas (Crédito: Reprodução)
Aldeias indígenas (Crédito: Reprodução)
Aldeias indígenas (Crédito: Reprodução)
Aldeias indígenas (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do Razões Para Acreditar