Lilian: Debates na Assembleia devem ser para discutir melhorias para a população

Lilian: Debates na Assembleia devem ser para discutir melhorias para a população

Para a deputada, todos os deputados devem concentrar os debates na discussão de projetos que proporcionem melhorias na qualidade de vida da população

Um tanto quanto disperso. Foi assim o segundo dia de trabalho na Assembleia Legislativa. A preocupação de alguns deputados agora é fazer com que os trabalhos não sejam prejudicados por conta do ano eleitoral. A idéia de alguns parlamentares é acelerar o ritmo nos três primeiros meses de trabalho para que as eleições não atrapalhem a aprovação de projetos.

Para a deputada Lilian Martins (PSB), que se mostrou preocupada com os rumos das discussões no segundo dia de trabalho, todos os deputados devem concentrar os debates na discussão de projetos que proporcionem melhorias na qualidade de vida da população. ?Temos que buscar projetos voltados para atender os interesses da população e não discutir nossas pretensões e alianças políticas?, criticou, acrescentando que política deve ser tratada com ?P? maiúsculo.

No entanto, a deputada acredita que a maioria dos deputados terão o compromisso de buscar acelerar a aprovação dos projetos. ?Já conversamos com a maioria dos deputados e existe o comprometimento de acelerar as discussões e aprovações de projetos no primeiro trimestre de atividades na Assembléia?, diz, lembrando que a maioria dos parlamentares já está acostumado a exercer as atividades paralelamente ao período eleitoral. ?A cada dois anos vivenciamos isso?.

A opinião da parlamentar já foi manifestada também por outros colegas de partido, como por exemplo o deputado Wilson Brandão (PSB) que afirmou que o assunto ia ser posto em pauta com os demais parlamentares. Lilian Martins aproveitou para ressaltar que outro ponto que deverá ser cobrado nas sessões da Assembleia, é o cumprimento dos projetos e leis já aprovados. ?Iremos cobrar para que as leis aprovadas sejam colocadas em prática efetivamente?, conclui. (M.M)

Fonte: Mayara Martins