Luciano Nunes: “Reunião é importante mais não indica que Sílvio já definiu que será candidato

Sílvio Mendes também foi recebido pelo governador de São Paulo, José Serra (PSDB) que informou quais as estratégias do partido nos demais Estados

Mesmo ainda não tendo definido uma pré-candidatura, em Brasília, o prefeito Sílvio Mendes (PSDB) já é considerado pré-candidato pelos membros do diretório nacional do partido. Participando de encontros políticos com as lideranças tucanas no Senado, o gestor da capital piauiense ouviu palavras de incentivo a uma candidatura para Governo do Estado ainda este ano.

Sílvio Mendes também foi recebido pelo governador de São Paulo, José Serra (PSDB) que informou quais as estratégias do partido nos demais Estados. Para o presidente do diretório estadual do PSDB no Piauí, deputado Luciano Nunes, a reunião com as lideranças tucanas tem seu grau de importância, mas não significa que o prefeito vá optar por lançar uma candidatura.

Luciano Nunes lembrou que, neste pleito eleitoral, serão definidos os governadores, deputados, senadores e presidente da República. ?Em âmbito nacional o PSDB lançará um candidato na disputa e é natural que queriam conversar com o prefeito, que lidera todas as pesquisas de intenções de voto?, argumentou, acrescentando que a proposta do partido é que, a nível estadual os tucanos também planejam uma candidatura própria. ?Estamos trabalhando para isso. Mas essa é uma decisão que deve ser tomada pelo Sílvio?, enfatiza.

Indagado sobre se haveria a possibilidade do prefeito anunciar a candidatura ao retornar das conversas com os demais líderes tucanos em Brasília, Nunes destacou que Sílvio Mendes só deverá anunciar uma pré-candidatura na segunda quinzena de março. Sobre a busca de alianças para compor a chapa majoritária a nível estadual, o parlamentar tucano explicou que só será definido o nome e o partido do vice quando se definir o nome do candidato. ?Todo encaminhamento será dado a partir da escolha do nome do candidato. Por enquanto, estamos conversando com os partidos?, finaliza. (M.M)

Fonte: Mayara Martins