Lula defende ações coletivas no combate a fome no Brasil

Lula lembrou parte da sua história, comparando-a com a de milhões de outros brasileiros

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira (16), na abertura da Cúpula Mundial de Segurança Alimentar, em Roma, que ?o combate à fome continua praticamente à margem da ação coletiva dos governos?. Ele pediu um maior envolvimento de toda a comunidade internacional com o tema. ?É como se a fome fosse invisível. Muitos parecem ter perdido a capacidade de se indignar com um sofrimento tão longe de sua realidade e experiência de vida?, completou.

Para o presidente, com menos da metade dos recursos gastos pelos países ricos para socorrer seus sistemas econômicos diante da crise era possível erradicar a fome no mundo. ?Frente à ameaça de um colapso financeiro internacional, causado pela especulação irresponsável e pela omissão dos estados na regulação e na fiscalização do sistema, os líderes mundiais não hesitaram em gastar centenas e centenas de bilhões de dólares para salvar os bancos falidos?, afirmou. ?Não teremos êxito no combate à fome se não mudarmos radicalmente os padrões de cooperação internacional?, defendeu.

Lula lembrou parte da sua história, comparando-a com a de milhões de outros brasileiros ?que deixaram sua região natal para escapar do flagelo da fome?, e citou o desenvolvimento de programas do governo, como Bolsa Família, Luz para Todos, Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), que estão conseguindo reduzir o número de pessoas subnutridas no país.

Fonte: g1, www.g1.com.br