Lula diz que deputado Edmar agiu bem ao renunciar a cargo na mesa diretora

A avaliação foi feita durante a tradicional reunião de coordenação política do governo.

O ministro das Relações Institucionais, José Múcio, disse nesta segunda-feira (10) que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva avaliou que a renúncia do deputado Edmar Moreira (DEM-MG) da segunda vice-presidência da Câmara foi correta. A avaliação foi feita durante a tradicional reunião de coordenação política do governo.

?Ele [Lula] achou que foi bom para o deputado e foi bom para a Casa. Nós não poderíamos macular mais os conceitos que têm aqueles que fazem parte da vida pública e [o presidente] achou o que nós achamos, que saiu para proteger a família?, comentou o ministro.

Moreira renunciou ao cargo na mesa depois que surgiram denúncias contra suas empresas por não recolhimentos de encargos trabalhistas. O parlamentar ficou famoso depois que admitiu ser dono de um castelo no sul de Minas Gerais.

Múcio salientou que agora o deputado terá que se defender sem os privilégios de ocupar um cargo na mesa diretora da Câmara. ?Agora ele vai ter, sem ser corregedor e sem fazer parte da mesa, que prestar as contas a quem deve?, resumiu o ministro.

Eleição no Congresso

Durante a reunião de coordenação, Lula e seus principais ministros discutiram ainda o resultado das eleições na Câmara e no Senado. Segundo Múcio, o presidente demonstrou preocupação com as escolhas dos presidentes das comissões nas duas casas e pediu que fosse convocada uma reunião do Conselho Político da Coalizão para aparar as arestas entre os aliados descontentes.

Múcio disse que reunião do Conselho, que reúne os presidentes e líderes congressistas dos partidos aliados ao governo, será no próximo dia 18. ?Vamos falar sobre o que passou e sobre as nossas prioridades para este ano?, contou.

O ministro afirmou que o governo continua tendo como prioridade para este ano a aprovação das reformas política e tributária.

Participaram da reunião de coordenação os ministros da Casa Civil, Dilma Rousseff, da Justiça, Tarso Genro, das Relações Institucionais, José Múcio, da Secretaria Geral, Luiz Dulci, da Fazenda, Guido Mantega, do Planejamento, Paulo Bernardo, e da Comunicação Social, Franklin Martins.

Fonte: g1, www.g1.com.br