Lula diz que não fará campanha onde base aliada tiver mais de um candidato

Presidente disse que não acredita "na história de dois palanques"; em relação à crise no Distrito Federal, ele afirmou que decisão cabe ao Judiciário

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira (19), em Três Lagoas (MS), que não irá participar de campanha em estados onde houver mais de um palanque com candidatos de partidos aliados, como o PT e o PMDB. "Se em algum estado não tiver possibilidade de construir aliança política, o que vai acontecer é que o presidente da República não participa da campanha naquele estado, porque não acredito muito na história de dois palanques. Não é possível que uma pessoa possa vir a um estado e fazer um palanque aqui e outro ali?, disse Lula. Segundo ele, as direções partidárias devem usar todos os argumentos possíveis para viabilizar a aliança.

Ele reafirmou que não cabe ao presidente dar palpites sobre uma possível intervenção no Distrito Federal. A decisão cabe ao Judiciário, lembrou, referindo-se ao Supremo Tribunal Federal (STF). "Só a Suprema Corte que pode decidir. Por conta disso, o presidente da República não pode dar palpite. A necessidade ou não de intervenção é a Suprema Corte que decide."

O presidente, que participou de visitas a obras em Três Lagoas, declarou ainda que o governo irá recuperar a Telebrás. Em relação à valorização das ações da companhia nos últimos anos, Lula disse "as ações de todas as empresas cresceram" durante o seu governo. "Que ela (Telebrás) vai crescer, vai, porque nós vamos recuperar a Telebrás. Nós vamos utilizar ela para fazer banda larga neste país", afirmou.

Fonte: Rede Brasil Atual