Lula diz que oposição mente ao compará-lo com ex-presidente Fernando Collor de Mello

Lula diz que oposição mente ao compará-lo com Collor

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reagiu na noite desta quinta-feira às críticas da oposição ao projeto que define novas regras para a caderneta de poupança. Ele afirmou que os opositores mentem "descaradamente", porque teriam "perdido o discurso".

Em entrevista coletiva realizada na noite desta quinta-feira em Florianópolis, onde participou da abertura do 9o encontro do WTTC (World Travel and Tourism Concil) ele se irritou ao destacar que alguns opositores o haviam comparado ao ex-presidente Fernando Collor de Mello, que confiscou cadernetas de poupança em 1990. "O triste é que muitos dos que me criticam hoje apoiaram o Collor naquela época", disse.

Lula destacou que as cadernetas de poupança da maioria dos investidores continua inalterada. Segundo ele, grande parte das aplicações são de pequenos valores, que não serão taxados.

"56% das aplicações da Caixa Econômica Federal são de menos de R$ 100 e quase 90% das pessoas que aplicam em cadernetas de poupança têm valores inferiores a R$ 10 mil", completou. "A poupança continua do mesmo jeito, por mais que a oposição queira que o governo fizesse ao contrário".

O presidente acrescentou que devido à queda da taxa Selic era "impossível permitir" que a poupança se transformasse na principal aplicação de grandes investidores.

"Todo mundo queria que a Selic fosse reduzida e quando isso aconteceu a poupança passou a oferecer os melhores rendimentos", disse. "Mas não dá para deixar que investidores deixem dois milhões na poupança, que tem o endereço certo: financiar obras de saneamento e construção de casa própria".

Ao final da coletiva, Lula voltou a disparar contra os partidos de oposição que, segundo ele, estaria "mentindo descaradamente". "Não sei como a oposição tem coragem de mentir de forma descarada, achando que a opinião pública não irá perceber o desplante das acusações", acrescentou. "Como garantimos os poupadores do Brasil, eles não têm o que falar. Tenho muita pena de um país que tem uma oposição que perdeu o discurso".

Crise

O presidente Lula afirmou também que o Brasil não pode ser o melhor país diante da crise, mas também não está entre os piores. Durante a abertura do Congresso Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês), em Santa Catarina, ele afirmou que o País mostrou a melhor política monetária e financeira do mundo.

Segundo Lula, o maior problema do Brasil é crédito, porque 30% era captado no exterior e, com a crise financeira, isso ficou comprometido. O presidente também cobrou que as empresas aéreas invistam em aviação regional no momento de crise e para incentivar o turismo nacional.

Fonte: g1, www.g1.com.br