Presidente Lula e Nicolas Sarkozy assistem ao desfile de 7 de Setembro em Brasília

Cerca de 3,6 mil pessoas devem participar do desfile, que começa às 9h. O público esperado é de 50 mil pessoas

Os militares e estudantes do Colégio Militar de Brasília que participarão do desfile de 7 de Setembro já estão concentrados na Esplanada dos Ministérios, no trecho que antecede o Palácio do Planalto. Ao longo do trajeto, foram colocadas bandeiras intercaladas do Brasil e da França, já que este é o Ano da França no Brasil. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, assistirá ao desfile como convidado de honra.

Cerca de 3,6 mil pessoas devem participar do desfile, que começa às 9h. O público esperado é de 50 mil pessoas. Já é grande a concentração de pessoas nas arquibancadas, com bandeirinhas do Brasil.

Inicialmente, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva passará as tropas em revista e depois se dirigirá, no Rolls Royce presidencial, à tribuna de honra localizada nas imediações do Ministério da Defesa para as honras militares. Lá, assistirá aos alunos que conduzirão as bandeiras dos estados brasileiros, do Distrito Federal e, em destaque, as do Brasil e da França, país homenageado este ano.

Depois, haverá a execução do Hino Nacional pela banda do 1º Regimento de Cavalaria de Guarda dos Dragões da Independência, com a passagem, em seguida, da Esquadrilha da Fumaça e depois a execução do Hino da Independência.

O general Américo Salvador de Oliveira, comandante militar do Planalto, em cima de um veículo modelo Cascavel, pedirá ao presidente Lula autorização para iniciar a parada cívico-militar.

Por ser o Ano da França no Brasil desfilarão, entre os militares brasileiros, a banda da Marinha francesa, o 1º Regimento da Guarda Republicana da França e uma tropa da Legião Estrangeira.

Foram instalados pelo Exército e pelo governo do Distrito Federal 15 postos de saúde ao longo do trecho onde ocorrerá o desfile. Há arquibancadas com capacidade para receber entre 40 e 50 mil pessoas, segundo o Palácio do Planalto. De acordo com o capitão do Exército Fábio de Blasi, a equipe de saúde está preparada para atender qualquer eventualidade, incluindo casos suspeitos de influenza A (H1N1) ? gripe suína.

Fonte: Agência Brasil