Lula propõe "Fome Zero" para a África subsaariana

O programa impulsionado pelo governo federal visa assegurar o direito humano à alimentação

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está em Roma para a Cúpula Mundial sobre Segurança Alimentar, propôs à África subsaariana o exemplo do Brasil, que conseguiu controlar a emergência da fome. As informações são da agência Ansa.

Em meio ao encontro das primeiras-damas reunidas na capital italiana para um evento paralelo à Cúpula da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Lula propôs aos países africanos o programa "Fome Zero", que tem gerado importantes resultados ao País.

O programa impulsionado pelo governo federal visa assegurar o direito humano à alimentação adequada às pessoas com dificuldades de acesso aos alimentos. De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, os investimentos no país alcançam mais de R$ 700 milhões e atendem a mais de 14 milhões de pessoas.

O presidente, que chegou ontem à capital italiana para o encontro de líderes mundiais, entre amanhã e quarta-feira, também se reuniu neste domingo com o ex-chanceler italiano Massimo D"Alema, com quem discutiu estratégias contra o aquecimento global. No encontro, Lula falou ainda sobre o caso de Cesare Battisti, italiano condenado à prisão perpétua em seu país e que está detido no Brasil, onde foi beneficiado pelo status de refugiado político em janeiro deste ano.

Segundo informou D"Alema após a reunião, o presidente disse a ele que o processo do italiano está nas mãos do Supremo Tribunal Federal (STF), que atualmente julga o pedido de extradição apresentado pela Itália. "Lula me explicou que a questão está nas mãos da magistratura, e será a magistratura que decidirá em alguns dias", afirmou D"Alema.

Espera-se que o STF retome o caso de Cesare Battisti na próxima quarta-feira, quando o presidente da Casa, ministro Gilmar Mendes, deve se pronunciar. Até o momento, a votação pela extradição ou permanência do ex-ativista de esquerda está empatada.

Fonte: Terra, www.terra.com.br