Lula quer participar de decisões do governo, mesmo como conselheiro

Ex-presidente disse ainda que o governo precisa fazer desonerações

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira que quer participar das decisões do governo, mesmo que seja na condição de conselheiro.

A ideia do "plano B" foi divulgada na semana passada por Jaques Wagner, chefe do Gabinete Pessoal da presidente Dilma Rousseff. Isso porque há um risco de o ex-presidente não assumir a Casa Civil devido a uma batalha judicial.

Em entrevista para a mídia internacional, em São Paulo, nessa segunda-feira (28), Lula afirmou ainda que o governo precisa fazer desonerações e adotar outras medidas para que a economia possa voltar a crescer, numa aposta no potencial do mercado interno do país.No último dia 23, Wagner, que foi deslocado neste mês do comando da Casa Civil para a chefia de gabinete de forma a abrir espaço para Lula no ministério, disse que caso o ex-presidente não possa assumir como novo titular da pasta deve ser mantido no governo em outra posição, como assessor especial.Se virar ministro, Lula terá direito a mais benefícios do que hoje, como ex-presidente. As regalias incluem salário de R$ 30,9 mil, carros oficiais e auxílios moradia e alimentação.

Ex-presidente Lula  (Crédito: AFP)
Ex-presidente Lula (Crédito: AFP)


Fonte: UOL