Lula reforça oposição a sanções ao Irã e propõe mediação a Obama

Os Governos brasileiro e turco propõem que o Irã envie parte de seu urânio levemente enriquecido à Turquia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, apresentaram nesta terça-feira ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, uma proposta de mediação no conflito com o Irã que evitaria a aplicação de novas sanções.

"Nós achamos que ainda há tempo para uma solução negociada", disse em entrevista coletiva em Washington o chanceler Celso Amorim. Lula e Erdogan pediram a reunião com Obama durante o jantar de abertura da cúpula nuclear de Washington, na segunda-feira. O premiê turco e o presidente americano também tiveram um encontro bilateral já marcado anteriormente.

Na reunião a três partes, que durou só 15 minutos, o presidente americano não se comprometeu a adiar as sanções que os EUA impulsionam no Conselho de Segurança da ONU, como reconheceu Amorim. O chanceler destacou, porém, que ao mesmo tempo Obama "não vê nenhum problema em que se tente uma solução negociada".

Os Governos brasileiro e turco propõem que o Irã envie parte de seu urânio levemente enriquecido à Turquia que, após intercambiá-lo por combustível nuclear que receberia de países ocidentais, o mandaria de volta a Teerã. Antes da entrevista coletiva de Amorim, o porta-voz do Departamento de Estado americano, P.J. Crowley, insistiu que o Conselho de Segurança da ONU deve aprovar agora sanções contra o Irã, apesar da oposição de Brasil e Turquia.

"Achamos que é a hora de agir", disse Crowley, que acrescentou que "pode haver um debate sobre as sanções específicas que deveriam ser adotadas". Amorim tinha previsto para hoje um encontro com a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, para tratar o tema do Irã, mas a reunião acabou cancelada depois que os três líderes conversaram diretamente sobre o assunto.

Fonte: Terra