Lula e ministros vão discutir ajuda ao NE

Lula e ministros vão discutir ajuda ao NE

Presidente embarca nesta quinta para estados afetados por enchentes.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reúne na noite desta quarta-feira (23) ministros para discutir auxílio a Pernambuco e Alagoas. Lula embarca na manhã desta quinta (24) para os municípios dos dois estados atingidos por enchentes. Em Luziânia (GO), durante a inauguração do programa “Cinema Perto de Você”, Lula afirmou que vai convocar dez ministros para decidir a estrutura que será disponibilizada pelo governo federal.

“Ainda tenho que chegar em Brasília e ter uma reunião com mais de dez ministros para a gente aprovar as coisas que nós vamos ter que levar para o Nordeste para ajudar os nossos irmãos que foram vítimas de uma coisa que não tem explicação. Uma tromba d’água que choveu num dia o que não choveu num mês, que pegou Pernambuco e Alagoas e ainda tem muita gente desaparecida. Vamos para lá amanhã levar a estrutura o país tem para oferecer para amenizar esse sofrimento,” disse.

Segundo o Planalto, a reunião terá a presença de ministros e representantes dos ministérios da Casa Civil, Transportes, Desenvolvimento Social,Defesa, Saúde, Integração Nacional, Cidade, Educação e Gabinete de Segurança Institucional (GSI). A presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos Coelho, também deve comparecer. A reunião será no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), sede provisória do governo.

O governo federal já anunciou a liberação de R$ 100 milhões para as defesas civis dos dois estados. As defesas civis de Alagoas e Pernambuco já receberam, cada uma, R$ 25 milhões em caráter emergencial. O restante será transferido assim que os governos estaduais enviarem um relatório detalhando os danos provocados pelas chuvas.

Os recursos vêm do saldo de uma medida provisória editada este mês que prevê R$ 1,2 bilhão para estados e municípios de todo o país afetados por desastres naturais. Também serão enviados 75 mil cestas básicas e dezenas de “kits enchente”, com cobertores e medicamentos. Ao anunciar a liberação dos R$ 100 milhões, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse que “provavelmente” seria necessário editar uma nova medida provisória para complementar a verba.

Fonte: g1, www.g1.com.br