Lula volta a cobrar reformas no FMI e Banco Mundial

Lula afirmou ainda que os países em desenvolvimento vão levar esta mensagem aos organismos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva cobrou nesta terça-feira reformas nos organismos multilaterais e disse que o Brasil não se tornou credor de FMI e Bird para não haver modificações em seus procedimentos.

"É preciso que o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional abandonem seus dogmas obsoletos e condicionalidades nefastas. O Brasil não se tornou credor desses organismos para que as coisas continuassem como antes", disse Lula em discurso durante almoço no Itamaraty oferecido à presidente da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaf.

Lula afirmou ainda que os países em desenvolvimento vão levar esta mensagem aos organismos.

"Exigimos reformas profundas para que os países em desenvolvimento possam ter voz ativa na definição de seu futuro. É esse o compromisso que os países do Bric renovarão em seu encontro na semana que vem em Brasília", afirmou.

A reunião de cúpula dos países que formam o Bric (Brasil, Rússia, Índia e China) está marcada para os dias 15 e 16.

Fonte: Estadão