Maia diz ser "lamentável" Valério tentar envolver Lula no mensalão

Presidente da Câmara comentou depoimento de Marcos Valério ao MP. Para Marco Maia, "não cabem mais" novas investigações sobre o episódio

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), afirmou nesta quinta-feira (1ª) que é "lamentável" a tentativa de Marcos Valério para retomar as investigações sobre o caso mensalão e envolver o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no episódio.

Maia comentou reportagem do jornal ?O Estado de São Paulo?, que afirma que Marcos Valério, condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) como o responsável por operar o mensalão, prestou depoimento ao Ministério Público Federal e citou o nome de Lula. Conforme o jornal, Valério se diz ameaçado e quer ser incluído em um programa de proteção a testemunhas para revelar novas informações.

?A expectativa da sociedade brasileira é que essa página do mensalão seja virada com o julgamento do Supremo Tribunal Federal. É lamentável qualquer tentativa de tentar retomar o processo de investigação?, disse Maia na Câmara nesta quinta.

Para o presidente da Câmara, "não cabem mais" novas apurações sobre o tema. ?Eu colocaria esse suposto novo depoimento do Marcos Valério no que chamamos de jus esperniandi (direito de espernear). Depois do julgamento, depois de todas as análises feitas, de todas as investigações, não cabe mais nenhuma ilação sobre esse tema, principalmente com essa intenção de envolver o presidente Lula?, afirmou.

Citou Lula

De acordo com o ?Estado de S.Paulo?, investigadores informaram que, no depoimento, Valério faz menção ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil Antonio Palocci e a outras remessas de recursos para o exterior além da julgada. O STF analisou o caso do dinheiro enviado ao publicitário Duda Mendonça, em Miami, e o absolveu.

A assessoria do Instituto Lula, que representa o ex-presidente Lula, informou que não vai se pronunciar sobre o assunto por não conhecer o conteúdo das declarações de Marcos Valério feitas ao MPF. Já o criminalista José Roberto Batochio, que defende o ex-ministro, contestou a declaração de Marcos Valério e disse que Palocci ficou "perplexo".

Acusado pelo Ministério Público de ser o operador do mensalão, Valério foi considerado culpado pelo Supremo por cinco crimes (corrupção ativa, evasão de divisas, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e peculato) e condenado a 40 anos, 1 mês e 6 dias de prisão - até o final do julgamento o tamanho da pena ainda pode mudar. As penas de prisão e multa ainda serão ajustadas e podem aumentar ou diminuir a depender da "coerência" e do papel de cada um no esquema, segundo ministros do Supremo.

Fonte: G1