Manifestantes tentam invadir Câmara e tumulto deixa feridos

Apesar da ação, foram rapidamente rechaçados pela Polícia Militar

Um grupo de cerca de 30 estudantes tentou invadir a Câmara de Brasília, onde acontece a eleição indireta para o governo do Distrito Federal. Apesar da ação, foram rapidamente rechaçados pela Polícia Militar. Houve princípio de tumulto, que deixou um manifestante, dois policiais e um segurança da Câmara feridos.

Solon Nicolas, estudante de Relações Internacionais da UNB, foi encaminhado ao Hospital de Base de Brasília. O segurança teve uma fratura na perna direita. Dois manifestantes foram encaminhados à Delegacia de Repressão a Pequenas Infrações.

Há cerca de 250 policiais do lado de fora da Câmara, comandados pelo coronel da Polícia Militar Silva Filho - o mesmo que estava à frente da operação policial que reprimiu manifestantes em dezembro.

A tentativa de invasão se deu na entrada secundária que está situada ao lado direito da fachada do prédio da Câmara. Se tivessem conseguido pular o portão, cerca de 20 policiais esperavam os manifestantes do lado de dentro.

Fora da Câmara são cerca de 200 manifestantes. Além de estudantes há pessoas ligadas a Centrais Sindicais, partidos de esquerda e cidadãos contrários à eleição indireta e favoráveis à intervenção no Distrito Federal.

Há também grupos que defendem a diversidade sexual e um grupo de cegos que pede ao novo governador, que deve ser eleito nas próximas horas, inclusão em projetos sociais.

Fonte: IG