Marcelo Castro confirma que decisão sairá até dia 15

Segundo o deputado, Dias afirmou que escolha do nome será definida na primeira quinzena de março

O deputado federal Marcelo Castro (PMDB) esclareceu que a única novidade que pode ser extraída de sua conversa com o governador Wellington Dias (PT) no final de semana, é a intenção do petista de escolher o líder da chapa governista até o dia 15 de março.

A avaliação do candidato do Governo será feita por todos os representantes de partidos que compõem o bloco governista, inclusive com a provável participação de lideranças políticas. Os critérios para escolha serão retirados de três pesquisas de opinião solicitadas pelo governador Wellington Dias, que estão sendo realizadas para apresentar os dados sobre os quatro pré-candidatos da base aliada ao Governo.

Castro acredita que o critério mais valoroso para se chegar a um consenso é o nome que melhor une todas as forças políticas que compõem o governo. É nesse quesito que o PMDB mantém suas principais esperanças para a vitória do deputado federal Marcelo Castro. ?Acredito que enquanto as pesquisa não me posicionam acima dos demais pré-candidatos, a possibilidade de ter o maior potencial de aglutinação da base me valoriza na disputa pelo nome escolhido por todos os líderes da base. Não é o governador Wellington Dias que vai escolher o candidato, e sim todos?, declarou.

Marcelo nega desistência

Toda cúpula do PMDB esteve reunida na tarde dessa segunda-feira (01) para tratar do posicionamento do partido até a escolha do candidato da base. De acordo com o presidente da sigla, Marcelo Castro, não há possibilidade de desistência da pré-candidatura. Para ele, foi mais chance de avaliar o que é melhor para o PMDB.

?Em nenhum momento essa possibilidade esteve em discussão. Somos um dos partidos que iremos formar a chapa do governo. O primeiro plano é indicar o candidato a governador, não sendo possível, iremos avaliar as outras chances. No PMDB não há mais decisões isoladas, mas sim de todo o PMDB de acordo com suas bases e lideranças?, afirmou.

Fonte: Ascom