Margarete participa de reunião com governadores sobre microcefalia

Plano é resultado da criação do Grupo Estratégico Interministerial

Ações de combate ao zika vírus foram discutidas, nessa terça-feira (8), em reunião com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto. A governadora em exercício, Margarete Coelho, e o secretário de Estado da Saúde, Francisco Costa, participaram do debate, onde foi anunciado o Plano Nacional de Enfrentamento da Microcefalia, juntamente com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, e demais chefes do executivo dos estados.

Image title

O Plano é resultado da criação do Grupo Estratégico Interministerial de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e Internacional (GEI-ESPII), que envolve 19 órgãos e entidades. Dividido em três eixos de ação: Mobilização e Combate ao Mosquito; Atendimento às Pessoas; e Desenvolvimento Tecnológico, Educação e Pesquisa. O Plano reúne medidas emergenciais que serão colocadas em prática para intensificar as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Margarete Coelho destacou a importância das ações preventivas, por meio do movimento nacional, que em parceria com estados e municípios envolve diferentes ministérios e órgãos do Governo Federal para conter novos casos de microcefalia relacionados ao zika vírus. “Traçar metas e ações no sentido de prevenir a existência do mosquito e acima de tudo acompanhar as famílias que já tem crianças com microcefalia. O Piauí está combatendo o mosquito no estágio de larva e também como inseto. Cada uma desses estágios do mosquito exige ações diferentes. Há uma mobilização em todos os municípios, as instituições, no sentido de combater o mosquito em si”, disse a governadora.

Segundo Margarete, o Piauí vai compor o Comitê Gestor com todos os estados para se manter em comunicação com o Governo Federal. “É um estado de incertezas e insegurança muito grande que requer toda uma mobilização do exército, do Estado, de todos os poderes a fim de que essa epidemia seja enfrentada. Sabemos que, no Piauí, por conta da questão do abastecimento d’água, várias pessoas precisam acumular água em casa em bacias e potes, isso é comum, então nós precisamos que essa água seja acumulada de uma forma adequada, segura, fornecendo as tampas para aqueles recipientes, construindo cisternas na modalidade de cisternas urbanas, pois já temos as rurais. Além disso, fornecer o inseticida e, acima de tudo, acompanhar as gestantes com todas as medidas preventivas possíveis para que elas não sejam contaminadas”, ressaltou a governadora.

Até o dia 6 de dezembro, o Piauí notificou 36 casos suspeitos de microcefalia associados ao zika vírus e um óbito de recém-nascido sendo investigado. Os municípios de Barras, José de Freitas, Teresina, Cocal, Castelo do Piauí, São João da Serra, Ribeiro Gonçalves, Nossa Senhora dos Remédios, Piripiri, Betânia, São João dos Patos, Nazária e Campo Maior são os municípios de origem das gestantes infectadas.

Após o registro dos casos, a Secretaria da Saúde criou o Comitê de Operações Emergenciais em Saúde Pública no Piauí – Microcefalia, que já definiu o fluxograma de atendimentos aos casos suspeitos, além de implantar o Centro de Referência de Microcefalia, que funciona no Instituto de Perinatologia Social do Piauí da Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER).

Fonte: Com informações do Portal do Governo