Margarete vai a Plenária Territorial do Alto Parnaíba em Uruçuí

A plenária contece nesta quarta-feira (15)

Image title


A construção da gestão participativa tem sido o foco das plenárias do Plano Plurianual nos Territórios do Piauí. A vice-governadora Margarete Coelho nesta quarta-feira, dia 15, estará no Território Alto Parnaíba, em Uruçuí, para ouvir e dialogar com vereadores, prefeitos, lideranças políticas e toda a sociedade civil da região. O evento tem como finalidade debater e selecionar as prioridades do território para promover o planejamento estratégico do Estado em todas as áreas.

De acordo com a vice-governadora, temas como educação, infraestrutura, saúde, economia, desenvolvimento rural, entre outras questões importantes para o desenvolvimento do território serão debatidos em salas específicas, com a participação de técnicos e gestores estaduais que apoiarão as discussões e a definição das prioridades. “O Estado por meio de gestores e técnicos tem ido a cada território ouvir e conhecer a realidade de cada região para planejar e realizar ações estratégicas com base na previsão orçamentária para os próximos 4 anos”, disse.

Segundo ela, a participação de todos nas plenárias é importante para discutir o planejamento de todas as ações do Governo Estadual para os próximos quatro anos. “O nosso governo tem uma maneira diferente de fazer as coisas. Ao invés de estarmos na capital, só ouvindo os técnicos, viemos aqui na região, ouvimos prefeitos, vereadores, lideranças comunitárias e moradores para que a gente apresente as ações que estão planejadas e a população diga as suas necessidades”, revela.

No Território do Alto Parnaíba, a partir das 8 horas, a vice-governadora Margarete Coelho estará ao lado do secretário de Segurança, Fábio Abreu, da sub-secretária de Segurança, delegada Eugênia Villa, da superintendente de Planejamento Estratégico da Secretária de Planejamento, Rejane Tavares,   no Sindicato dos Trabalhadores Rurais para dar inicio   ao evento.

O PPA

A elaboração do PPA está sendo realizada em três etapas com a realização de oficinas setoriais nos órgãos públicos; oficinas territoriais, para validar a produção das oficinas setoriais através da definição das prioridades propostas pelos territórios; e a reunião das contribuições e construções dos órgãos públicos para a elaboração da versão final do documento, que será encaminhado à Assembleia Legislativa para aprovação.

Fonte: Assessoria