Marina Silva dá mais uma semana de prazo para dizer se deixa o PV

De acordo com o deputado federal Alfredo Sirkis, o PV "uma crise séria".

Após quatro horas de reunião na noite de domingo com o deputado federal Alfredo Sirkis (RJ) e o ex-deputado Fernando Gabeira, a ex-senadora Marina Silva decidiu dar mais uma semana de prazo para anunciar se permanecerá no PV. Marina e seu grupo têm demonstrado descontentamento com a direção nacional do partido e reclamam da falta de espaço nas decisões da legenda. Eles cobram mudanças no processo de condução do PV.



"Estou indo nesta quinta-feira para a Alemanha, onde participarei do encontro internacional de partidos verdes. Até a semana que vem, nada será anunciado. Ainda tenho outras reuniões marcadas antes de tornar pública qualquer decisão", afirmou Marina ao deixar o apartamento de Gabeira, em Ipanema, na Zona Sul do Rio, acompanhada de Sirkis e assessores.

De acordo com Sirkis, o PV enfrenta, atualmente, "uma crise séria". Os descontentes cobram eleições para os diretórios municipais e a fixação de um prazo de mandato para a Executiva Nacional. O atual presidente, José Luiz Pena, está à frente da direção do partido há 12 anos.

"Não estamos pedindo a lua, estamos pedindo eleições municipais. Hoje o que se vê no PV é a escolha dos diretórios municipais pelos estaduais, que por sua vez são indicados pela nacional, que acaba controlando todas as esferas do partido. O PV tem hoje uma situação catastrófica, com alianças políticas contestáveis, como em Mato Grosso e no Amazonas. O partido está sendo penalizado", diz Sirkis.

A possibilidade de Marina Silva e seu grupo anunciarem a saída do PV vem se arrastando há algumas semanas. Marina estudaria o ingresso em outra legenda ou a criação de um novo partido, também focado em questões ambientais.

Fonte: O Globo