Marllos diz que denúncia é “notícia requentada”; veja

Marllos diz que denúncia é “notícia requentada”; veja

Ele disse que a Corregedoria Geral da Polícia Civil arquivou a representação

O deputado federal Marllos Sampaio disse que a notícia da representação impetrada contra ele é um tema requentado porque no ano passado o secretário estadual de Segurança Pública, Robert Rios Magalhães, já tinha divulgado a informação.

?Essa é uma matéria requentada. No ano passado, no período da greve da Polícia Civil, quando o secretário Robert Rios declarou que queria extinguir a instituição, eu discordei dele. Em represália, o secretário divulgou para a imprensa a existência dessa representação que foi arquivada pela Corregedoria. Agora, por mais uma vez discordar dos absurdos ditos pelo secretário Robert, ao associar a greve dos professores ao aumento da criminalidade em Teresina, ele retoma esse assunto?, falou Marllos Sampaio.

Ele disse que a Corregedoria Geral da Polícia Civil arquivou a representação porque a considerou improcedente.

Segundo Marllos Sampaio, os advogados que fizeram a representação são criminosos que praticavam golpes contra os idosos na região de São Raimundo Nonato, inclusive dois deles foram presos pela Delegacia do Idoso em junho do ano passado na operação Rubi, comandada pelo delegado do Idoso, Mauro André.

?Essa investigação sobre advogados que enganavam os idosos na hora de requerer a indenização do golpe do empréstimo consignado foi iniciada por mim quando ainda era delegado do Idoso, depois me licenciei para assumir meu mandato na Câmara Federal?, acrescentou Sampaio.

?Essa não é uma atitude aceitável para um secretário de Segurança do Estado. Tudo o que ele fala é para desviar o foco de suas declarações sobre a greve e para não ter a humildade de pedir desculpas aos alunos e professores da rede estadual de ensino. Mas eles estão esperando esse pedido de desculpas. Entrei nesse assunto porque também sou da área da Segurança Pública e não posso concordar que se ligue a greve dos professores ao aumento da violência na capital. Ele tem a opinião dele e eu a minha, mas não sou psicólogo, nem psiquiatra para ficar discutindo com um descontrolado?, disse Marllos.

Fonte: Efrem Ribeiro