Massagista pivô de confusão quer ser candidato a deputado

Nos últimos meses o massagista passou de um ilustre desconhecido para popular na cidade, pelo menos é o que garante Esquerdinha

Esquerdinha é massagista de um pequeno clube do futebol goiano, a Aparecidense, e ficou conhecido nacionalmente por causa de um lance polêmico e inusitado ocorrido no disputa da Série D de 2013, jogo entre Tupi-MG e o time goiano. Na ocasião, Esquerdinha entrou em campo e evitou um gol do time mineiro que eliminaria a Aparecidense da competição e que gerou a exclusão do clube de Aparecida de Goiânia da competição. Aproveitando a popularidade gerada pelo lance, Esquerdinha pretende se candidatar a deputado estadual em Goiás.

Nos últimos meses o massagista passou de um ilustre desconhecido para popular na cidade, pelo menos é o que garante Esquerdinha. O massagista explicou como surgiu a ideia de ser candidato e revelou o convite do deputado Sandro Mabel (PMDB), uma das lideranças políticas do estado. Esquerdinha se considera um representante do povo e que por isso aceitou o convite.

?Eu tive um convite do Sandro Mabel para candidatar para deputado estadual, me filiei ao Pros (Partido Republicano da Ordem Social), é um partido novo. Eu aceitei porque acho que o povo precisa de um representante humilde lá dentro. Eu sou da classe humilde, não tenho bens materiais, colocação nenhuma e vivo do meu salário aqui na Aparecidense. Acho que o povo precisa de um representante que entende os problemas vividos?, frisou.

Apesar de entender que ter invadido o campo e tirado o gol do Tupi-MG foi uma atitude errada, Esquerdinha crê que o ato impulsivo acabou tomando outra conotação. O massagista disse que ficou bastante conhecido na cidade depois do episódio.

?Acredito que foi isso sim, a minha popularidade está em alta. Onde eu vou o povo me conhece e fica feliz comigo. Teve um encontro gastronômico aqui em Aparecida de Goiânia e muita gente veio falar que eu já fiz mais pela cidade que muita gente?, contou.

Esquerdinha está convicto sobre a candidatura e já tem até o slogan: ?se a corrupção vai entrando, Esquerdinha vai tirando?. O massagista da Aparecidense disse que recebeu apoio dos amigos e da família, mas que dentro do clube não foi a mesma coisa.

A menos de uma semana para a estreia da Aparecidense no Campeonato Goiano, Esquerdinha trabalha firme e espera que o clube consiga uma vaga na Série D novamente. Caso isso aconteça, o massagista terá de pagar a punição sofrida de 12 jogos. No entanto, ele estuda entrar com um recurso pedindo habeas-corpus trabalhista e inclusive citou o caso do meia Oscar que usou o mesmo método para poder atuar pelo Internacional.

Fonte: Terra