Medeiros: Piauí está ficando pronto para acelerar seu desenvolvimento

Para Medeiros, as interligações por asfalto irão aumentar consideravelmente a circulação de mercadorias

O Piauí está concluindo obras de infra-estrutura que irão possibilitar a aceleração do processo de desenvolvimento atual e evitar que grandes empreendimentos deixem de se instalar no Estado por não contar, por exemplo, com adequado sistema de transporte para escoamento da produção e energia elétrica de qualidade em todas as regiões. O secretário estadual de Educação, Antônio José Medeiros, declara que o Estado avançou muito nestes dois setores nos últimos anos, mas, com as conclusões de obras como a Transnordestina e três hidrelétricas sob o rio Parnaíba, o Piauí terá condições para ampliar a atividade econômica já instalada e a receber novos empreendimentos produtivos de qualquer porte.

Transportes.

?Há oito anos Piauí possuía uma malha rodoviária sofrível, com pouco mais de 2 mil quilômetros de asfalto. Nós então recuperamos toda esta malha e estamos chegando a mais de 3 mil quilômetros de asfalto novo. Em breve, estaremos com todos os municípios com ligação asfáltica. Havia muitas cidades que não produziam mais porque a dificuldade de acesso inviabiliza a distribuição dos produtos?, comentou Medeiros, que na segunda-feira acompanhou as obras de implantação da estrada para o município de Buriti dos Montes, um dos maiores produtores de feijão do estado, mas que fica isolado na divisa com o Ceará.

Para Medeiros, as interligações por asfalto irão aumentar consideravelmente a circulação de mercadorias para grandes e pequenos produtores. ?Mas o Estado ainda necessita de grandes obras de transporte, que já estão em implantação, para darmos vazão a um número maior de produtos e mercadorias e direcionado para grandes mercados. Precisamos garantir a conclusão da Ferrovia Transnordestina, do Porto de Luís Correia e da malha ferroviária para o litoral. Assim podemos transportar e exportar grandes volumes de cargas?.

Energia.

Antônio José Medeiros declara que pequenos produtores precisam de eletricidade de qualidade para garantir segurança ao processo de produção, mas, para os grandes empreendimentos, isto é imprescindível. ?A falta de segurança energética afasta de pequenas a grandes empresas que queiram se instalar no Estado?, completou.

Segundo ele, felizmente o estado já avançou bastante na ampliação das linhas de transmissão, implantação de subestações e a oferta aos consumidores como, por exemplo, a conclusão do Luz Para Todos, prevista para outubro. ?Novas grandes linhas de transmissão estão sendo licitadas ou já estão em início de implantação pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Mas, agora, vamos garantir a produção. As linhas podem trazer energia de outras partes do país. Já as hidrelétricas produzem a energia aqui e geram empregos em nosso Estado. Em bem pouco tempo elas serão concluídas?.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte